Free songs

Admissão ao Bom Propósito – 2008

30 de abril de 2014
VOLTAR

O Seminário Interno é o coração da formação vicentina, o tempo em que o candidato amadurece sua opção fundamental de se consagrar a Deus na Congregação da Missão. Seu objetivo geral é o aprofundamento da formação vicentina iniciada no Propedêutico. É o núcleo dessa iniciação. É um momento muito especial para que os seminaristas:


a) Conheçam e interiorizem mais a vocação da Congregação da Missão.
b) Façam uma experiência mais profunda de intimidade com o Senhor, que os leve a renunciarem a si mesmos, para se revestirem do espírito de Cristo, e a descobrirem-no melhor como o centro de nossa vida e Regra da Missão (CC 5).

c) Procurem, com o auxílio dos Formadores, melhor discernimento do apelo de Deus para seguir a Cristo evangelizador dos Pobres na Congregação (RC I,3; CC 5,77). Por não ser a primeira iniciação, o Seminário Interno, situando-se depois do Propedêutico e do curso de Filosofia, supõe maior maturidade.


O Seminário Interno é o momento apropriado para aprofundar o conhecimento do carisma, da história, da missão e da espiritualidade vicentina. Não se trata de adquirir simplesmente um conhecimento teórico, mas de confrontar a história e a espiritualidade da Congregação da Missão com a própria vocação, para adquirir o “sensus Congregationis” e uma adesão afetiva que ajude o Formando a experimentar um forte senso de pertença.

Um candidato é admitido na Congregação, quando, a seu pedido, é recebido para o período de prova no Seminário Interno e se inicia, quando os seminaristas são declarados recebidos pelo Diretor ou por seu substituto legal. (Cf. Diretrizes Básicas para a Formação na PBCM, artigos279-281).

“Decorrido um ano completo da admissão na Congregação, o Coirmão, segundo nossa tradição, mostra, por meio do Bom Propósito, sua vontade de dedicar-se, durante todo o tempo de sua vida, na Congregação, à salvação dos pobres, segundo as Constituições e Estatutos” (Constituições da CM 54,§2)

Foi com imensa alegria e o Teologado Vicentino São Justino de Jacobis em festa que no dia 22 de fevereiro nossos coirmãos Edney Almeida Costa, Erick de Carvalho Gonçalves, Héber Francisco de Faria e Marcelo Ferreira Silva emitiram o Bom Propósito pela primeira vez.

A renovação anual do Bom Propósito, até a emissão dos Votos, como prescrevem as Normas da Província Brasileira da Congregação da Missão foi feita pelos nossos coirmãos Vinícius Augusto R. Teixeira, Odinei de Paiva Magalhães, Vanderlei Alves dos Reis e Roberto Carlos da Silva.

A Celebração Eucarística foi animada pelos próprios seminaristas, presidida pelo visitador provincial Pe. Agnaldo Aparecido de Paula e concelebrada pelos coirmãos: Pe. Luiz Roberto Lemos do Prado, Pe. Antônio Gomes Pereira, Pe. Alexandre Nahass Franco, Pe. Vandeir Barbosa de Oliveira, Pe. Sebastião de Carvalho Chaves, Pe. Célio Maria Dell’Amore e Pe. Tadeu Oliveira Santos Pôrto. O visitador provincial lembrou durante a homilia que a emissão do Bom Propósito na Congregação da Missão dever ser antes de mais nada sinal da maturidade vocacional daquele que tendo-se encontrado com Jesus de Nazaré, o descobriu como evangelizador dos Pobres. O Bom propósito deve ser a manifestação sincera de quem deseja, através e na Congregação da Missão, dar continuidade à missão de Jesus Cristo colaborando na construção de um mundo mais justo, fraterno e pleno de vida para todos, em especial para os mais pobres. Que todos os fiéis, e de modo particular os que emitiram ou renovaram o Bom Propósito, possam a exemplo de Pedro professar a fé em Jesus afirmando sem medo ou vacilo “Tú és o Messias, o Filho do Deus vivo”. É sobre esta profissão de fé ao apóstolo Pedro que a Igreja foi e continua edificada.

Após a Celebração Eucaristia seguiu-se fraterna e animada confraternização.

Não se pode deixar de mencionar a presença, manifestação de apoio e amizade, de vários parentes, amigos e amigas dos seminaristas que vieram de perto (Comunidades da Paróquia Pai Misericordioso, Paróquia S. Sra. de Fátima, Paróquia do Calafate, Comunidades do entorno do Instituto São Vicente de Paulo) e também de longe (Petrópolis, Rio de Janeiro, Caraça).