Neste dia 15 de janeiro/2010, em Campina Verde, o Pe. Agnaldo Aparecido de Paula, C.M., presidiu Celebração Eucarística de abertura do Seminário Interno Interprovincial. Concelebrada pelos Padres Geraldo Ferreira Barbosa (Diretor do Seminário Interno Inter-Provincial), João Donizete Dombroski (Pároco), Geraldo Nunes Costa (capelão do Hospital) e Calixto Emanoel Ardissom (vigário paroquial) a celebração contou com a participação de representantes dos ramos da Família Vicentina atuantes em Campina Verde: Associação Internacional de Caridades, Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Sociedade São Vicente de Paulo e outros fiéis.

 Foram admitidos ao Seminário Interno os seminaristas da Província Brasileira da Congregação da Missão: João Paulino da Silva Neto, Hélio Correia Maia, José Nunes Cardoso e Paulo Cezar Velozo; e da Província de Fortaleza da Congregação da Missão: Antônio José Silva Machado e Francisco Cardoso Rocha.

A Congregação da Missão considera o Seminário Interno o coração da formação vicentina, o tempo em que o candidato amadurece sua opção fundamental de se consagrar a Deus na Congregação. Seu objetivo geral é o aprofundamento da formação vicentina iniciada no Propedêutico e Filosofia. É o núcleo dessa iniciação. É um momento muito especial para que os seminaristas:

a. Conheçam e interiorizem mais a vocação da CM.

b. Façam uma experiência mais profunda de intimidade com o Senhor, que os leve a renunciarem a si mesmos, para se revestirem do espírito de Cristo, e a descobrirem-no melhor como o centro de nossa vida e Regra da Missão. (Cf. Const. CM, 5; RFPSI, II, 1).

c. Procurem, com o auxílio dos Formadores, melhor discernimento do apelo de Deus para seguir a Cristo evangelizador dos Pobres na Congregação (RC I, 3; CC 5, 77; Cf. RFPSI, II, 2). Por não ser a primeira iniciação, o Seminário Interno, situando-se depois do Propedêutico e do primeiro ano de Filosofia, supõe maior maturidade.

 “O Seminário Interno é o momento apropriado para aprofundar o conhecimento do carisma, da história, da missão e da espiritualidade vicentina. Não se trata de adquirir simplesmente um conhecimento teórico, mas de confrontar a história e a espiritualidade da Congregação da Missão com a própria vocação, para adquirir o “sensus Congregationis” e uma adesão afetiva que ajude o Formando a experimentar um forte senso de pertença” (DBF-PBCM, 280).

 “Um candidato é admitido na Congregação, quando, a seu pedido, é recebido para o período de prova no Seminário Interno (CC 53, §1). O Seminário Interno se inicia, quando os seminaristas são declarados recebidos pelo Diretor ou por seu substituto legal (cf. EE 20, §1; NNPP, 34). Para os candidatos ao Presbiterato isto se dá após o primeiro ano de Filosofia (cf. NNPP 34, §1). Para os candidatos a Irmão isto se dá após o Propedêutico (cf. NNPP 34, §2). Os casos de exceção serão tratados pelo Visitador, de acordo com o nº 44 dos Estatutos da Congregação (cf. NNPP 34, §3). O Seminário Interno durará 12 meses, sendo 11 contínuos (Cf. CC 83; NNPP, 35; RFPSI, II, 3).

 A todos os membros do Seminário Interno Interprovincial neste ano de 2010 as nossas orações e votos de que esse seja mais do que Kronos um Kairós, ou seja, um verdadeiro Tempo da Graça e da presença de Deus em suas vidas.