De 10 a 24 de janeiro de 2010, celebramos as Santas Missões Populares Vicentinas na cidade de Jenipapo, diocese de Araçuaí (MG). Éramos 45 missionários, entre Leigos, Irmãs, Padres, Irmãos e Seminaristas, representando os nove ramos da Família Vicentina que compõem o Regional Belo Horizonte. A Paróquia se preparou bem para a ocasião, graças ao empenho de seus animadores e animadoras, das Irmãs e dos Padres que lá trabalham. Nas 30 comunidades, encontramos numerosos desafios, mas, sobretudo, acolhimento, vitalidade e esperança.
A Paróquia foi dividida estrategicamente em 12 setores. Para cada um, foi enviada uma equipe, munida de abundante material. Percorrendo longas distâncias, sob um sol escaldante, nossos Missionários se dispuseram a visitar todas as famílias, revelando-lhes o amor solidário de Deus já presente em suas vidas. Entre um cafezinho e um biscoito, ouviam histórias, enxugavam lágrimas, provocavam sorrisos, superavam resistências, infundiam esperança, anunciavam o Evangelho da Vida. À noite, reuniam os grupos e as comunidades, celebrando a fé, encorajando no seguimento de Jesus, refletindo sobre temas pertinentes, unindo-se em oração, despertando para a luta por dias melhores. Enche-nos de entusiasmo ver florescer na Missão Vicentina o protagonismo dos leigos, coordenando atividades, liderando equipes, dirigindo encontros, animando celebrações, propondo, discordando, tentando encontrar caminhos, dando testemunho de indeclinável ardor missionário.
No último dia, dedicamos a manhã inteira à avaliação de nossa presença e atuação e, com base em tudo o que vimos, ouvimos e tocamos, apresentamos sugestões à Paróquia para que as sementes lançadas naquele terreno fértil que o Espírito nos preparou produzam abundantes frutos na vida do bom povo que nos acolheu. Terminada a avaliação, à sombra dos pés de graviola, compartilhamos de um almoço oferecido pela Paróquia. No mesmo dia em que os Missionários saíam de Jenipapo, chegavam à cidade os voluntários do Colégio São Vicente (Rio de Janeiro-RJ) para mais uma etapa do Projeto CPF (Construindo e Preparando o Futuro), cujo objetivo é a capacitação de educadores e lideranças comunitárias. Assim, torna-se ainda mais evidente a íntima ligação entre evangelização, formação da consciência crítica e promoção humana integral, como fez e recomendou São Vicente de Paulo.
A liturgia do 3º Domingo do Tempo Comum, dia da Missa de Encerramento, presidida pelo Bispo Diocesano, foi uma grande delicadeza da Providência para conosco. O evangelho do dia continha o texto inspirador das Santas Missões Populares Vicentinas: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me ungiu para anunciar a Boa Nova aos Pobres” (Lc 4,18). Como aqueles que se encontravam na sinagoga, como São Vicente e Santa Luísa, todos os Missionários tinham os olhos fixos em Jesus de Nazaré para ouvi-lo dizer às comunidades ali representadas: “Hoje se cumpriu o que acabastes de ouvir” (Lc 4,21). As sementes foram lançadas e o terreno é fértil. A colheita, porém, pertence a Deus e aos que lá permanecem fazendo germinar o que foi plantado.