A Missionareidade do Carisma Vicentino

 A Família Vicentina, Regional de Belo Horizonte, é constituída por sete ramos: AIC (Associação Internacional de Caridade); SSVP (Sociedade São Vicente de Paulo); JMV (Juventude Marial Vicentina); MISEVI (Missionários leigos Vicentinos); FC (companhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo); PBCM (Província Brasileira da Congregação da Missão).

Um dos projetos que a Família Vicentina dessa região desenvolve em comum, é a Missão Popular Vicentina.

Todos os anos desde o mês de agosto até novembro os missionários destes sete ramos se reúnem em busca de uma formação constante para poderem servir da melhor forma possível à Missão. No mês de janeiro de todos os anos os missionários são enviados a uma Paróquia de alguma região urbana ou rural para lançarem a semente do Evangelho.

Este ano os missionários se reuniram no feriado de (Corpus Christi), dias 7, 8, 9 e 10 de junho em torno do tema: “A missionariedade do Carisma Vicentino”. Aconteceu assim o Iº Seminário sobre Missões Populares Vicentinas em 2007.

Vindos de diversos bairros da cidade de Belo Horizonte – MG de outras cidades mineiras e também de outros estados como, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, reunimo-nos no Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Macaúbas, cidade de Santa Luzia. A Família Vicentina Regional de Belo Horizonte, durante quatro dias, representada por seus missionários, rezou, estudou, refletiu e confraternizou à luz do “Carisma Vicentino”.

   Iniciamos a jornada com uma celebração Eucarística (Solenidade de Corpus Christi), na capela central do Mosteiro, junto com a comunidade residente. Logo no início percebia-se a animação de cada participante que trazia consigo símbolos como: broches, camisetas e a bandeira da Missão Popular Vicentina, e de cada ramo representado.

            Após todos se apresentarem iniciou-se o Seminário com o sub-tema: Relacionamento Inter-pessoal e Trabalho em Equipe, momento coordenado pela psicóloga Marisa Aparecida Domingos, que acompanha o grupo de missionários há algum tempo. Foram considerados como relevantes para o trabalho em equipe na Missão os seguintes elementos: o que é ser humano e a importância da comunicação diante das portas da vida; como se posicionar frente às portas de entrada e saída. O objetivo comum: a interdependência e a interação, inclusão, controle e conflitos. O grupo reagiu de forma acolhedora e com significativa atenção, o que se pôde observar na partilha em plenário.

À noite aconteceu uma exposição sobre a forma como é vivida a missionariedade do Carisma no seio de cada ramo da família.

Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP)

A Sociedade São Vicente de Paula (SSVP) foi representada pelas consocias Vera Vilma e Marileide que falaram sobre a Missão que Rafa conduzida desde a fundação por Antônio Frederico Ozanam até os dias de hoje. Como a estrutura organizacional da SSVP desenvolveu-se ao longo dos 174 anos de existência.

Companhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo (FC)

A Companhia das Filhas da Caridade de São Vicente Paulo apresentou-se falando da fundação em 1633, até o surgimento da província de Belo Horizonte, presente também nos Estados de Goiás, Tocantins e Distrito Federal. Vivem seu carisma iluminadas pela máxima: “Doadas a Deus para o serviço dos pobres”, a caridade de Cristo as impele aos seguintes trabalhos: Educação, Saúde Social e inserção em meios Populares.

Colégio Imaculada Conceição – Barbacena

O Professor Dário com duas alunas, Bruna e Iara, expõe um pouco sobre os trabalhos sociais que o CIC desenvolve na cidade de Barbacena. Professores, alunos, funcionários, Irmãs e comunidade cultivando, assim, sua missão de educar o ser humano por meio dos valores Vicentinos, estimulando a criatividade, o respeito ao outro, a busca continua do crescimento cognitivo e a atuação solidária rumo a uma sociedade mais justa e humanizada.

Juventude Marial Vicentina (JMV)

Os jovens Nayara, Rafael e Ir. Jane Carla FC falaram da realidade da JMV em âmbito nacional, apontando alguns dados da associação na Província de Belo Horizonte. Estão em dez cidades com dezoito grupos, possuem estatuto internacional e provincial. Estão diretamente inseridos nas comunidades eclesiais, pastorais e também nas Missões Populares Vicentinas. Com ideal de “ir a Cristo por Maria”, pela espiritualidade Marial e Vicentina, caminham na mística do “Ser, amar e construir”.

Num grande espírito de “Família, iniciamos o segundo dia com a Celebração Eucarística preparada pelas filhas da Caridade”.

Ao inicio das atividades do dia, fomos presenteados com uma oração da manhã, preparada pelo MISEVI, núcleo de contagem. O texto bíblico foi o dialogo de Jesus com a samaritana, muito ligado ao tema, pois o texto encerra o momento orante convidando a todos a levar a boa nova às pessoas.

Ana Rocha, FC ao longo do dia desenvolveu o tema “Espiritualidade Vicentina”, apontando algumas características marcantes de Vicente de Paulo, rosto de homem, reflexo de Deus.

Fomos convidados a uma profunda reflexão, chamados a escutar com o ouvido de discípulos (Is 50,4), a deixar-se amar e ser amado, coração amado (Os 2,16; Jô 15,9) e decidir, o querer caminhante (Fil 3,12-14), os participantes puderam expor as experiências que tiveram nessa oração.

Conduzidos pela Ir. Ana pôde mergulhar no mundo dos pobres junto com Vicente de Paulo, encontrando assim o Deus vivo de Jesus Cristo. Percebemos que Vicente de Paulo era um homem atento a todas as formas de pobreza, com uma espiritualidade prática, atual e extremamente simples, enraizado no Cristo. Impele-nos a Deus “com o suor de nossa fronte e a força de nossos braços”.

Os participantes foram convidados a uma oficina de oração, e preparam para as plenárias, criativas maneiras de rezar a vida, iluminadas pela Palavra de Deus.

Iniciamos nossas atividades da noite com a exposição dos trabalhos desenvolvidos por mais três ramos:

Associação Internacional de Caridade (AIC)

           Agindo juntos em prol dos pobres, as voluntárias da caridade somam três núcleos na Região de Belo Horizonte, com mais um em Contagem, totalmente organizados  e ativos, desenvolvem suas atividades com os seguintes eixos de ação:
– Solidariedade – autopromoção – promoção do pobre;
– Emponderamento – Reforço Institucional – Violência contra a mulher.

Congregação da Missão (CM)

Com a máxima evangélica: ”O Senhor enviou-me para evangelizar os pobres”, a CM reúne Padres e Irmãos para a evangelização dos pobres e formação do clero. Chega ao Brasil em 1820, na Caraça, dividindo-se em três Províncias: Sul, Rio de Janeiro e Fortaleza.

             Os Padres, Irmãos e Seminaristas, atuam diretamente nas comunidades eclesiais com atividades pastorais e também apoio à Família Vicentina, em seus diversos ramos.

Missionários Seculares Vicentinos (MISEVI)

           Surgiu em 2001 através da animação missionária da JMV na Espanha. Em 2005 teve sua Segunda Assembléia Internacional, onde o Brasil teve sua representação. O MISEVI começa a ser gestado no Brasil em 2005, tendo sua 1ª Assembléia em 2006.

           Organiza-se através de núcleos já existentes de missionários leigos, que já têm uma grande experiência missionária seja nas comunidades de origem ou nas MPV de janeiro.

          Abrindo os olhos para o mundo e o coração para a missão, o MISEVI tem o projeto de formar uma casa missionária em Carinhanha/BA, para uma missão com maior tempo de permanência.

          No terceiro dia tivemos o privilégio da presença e da fala do Padre Alexandre Nahas Franco, CM com o tema: “A Missionariedade do Carisma Vicentino que nos levou a  compreender como podemos reunir e somar forças, valorizando as diferenças de pensar, de trabalhar colocando-nos a serviço da Missão.

Encerramos o Seminário sobre Missões Populares Vicentinas no quarto dia, com uma significativa avaliação, que nos ajudará a conduzir a formação dos nossos missionários e apontando algumas propostas de trabalhos para o futuro.

Despedimo-nos com saudade, mas também com a certeza de estarmos juntos novamente no dia 23 de setembro onde celebraremos o dia de oração em comum da Família Vicentina com o tema: “O amor é inventivo ao infinito”. Venha celebrar conosco, você que é vicentino e assim, poderemos encurtar mais os laços de amizade entre nossa “Família”.

Rafael Cruz, JMV
Cristiane Alves, MISEVI
Geovani Ponterl, MISEVI
Pe. Raimundo João da Silva, CM