41ª ASSEMBLEIA GERAL DA CONGREGAÇÃO DA MISSÃO

Visite o site oficial: www.cmglobal.org/es/asamblea-general/

 

Dia 4 de Julho de 2010 – 7º dia – Domingo – Livre

Dia 5 de Julho de 2010 – 8º dia

A Celebração Eucarística foi presidida pelo Pe. Brian MOORE, visitador da Província da Irlanda, às 7 horas, na Capela São Vicente de Paulo.

Às 9 horas, no Auditório da Cúria Geral das Filhas da Caridade, após o canto “Enseña nos a amar Vicente de Paul”foi apresentado um vídeo com no testemunho de uma Nigeriana na Alemanha fala do drama e dos desafios dos africanos que buscam na Europa melhores condições de vida.

Pe. Dennis H. HOLTSCHNEIDER, moderador do dia, informou que às 20 horas na Sala Magna da Assembleia (auditório) será projetado um documento sobre São Vicente para os coirmãos de língua espanhola. No mesmo horário para os coirmãos de língua francesa está programada uma visita aos arquivos da Maison Mère. Pe. Arkadiusz ZAKRETA, visitador da Polônia, foi submetido a uma cirurgia de apendicite e deverá ficar internado por uns 3 ou 4 dias para recuperação devido a gravidade da situação em que se encontrava. Também por questões de saúde estará ausente da Assembléia o Pe. Norbet ENSCH, visitador da Alemanha. Última informação, a Comissão de Sintetizadores elaborará novo documento, acolhendo proposta feita pelos Grupos de Trabalho Linguísticos após analise do Documento de Síntese da primeira semana de Assembleia. O Documento foi avaliado como sendo uma “espécie de crônica” e não o que estabelece o Diretório da Assembleia Geral (2010), conforme o capítulo VII: “Trabalho de Síntese” que transcrevo a seguir:

A – Os sintetizadores

29   –    Os sintetizadores (um por língua oficial da Congregação) são nomeados antes da Assembleia Geral pelo Superior Geral com o consentimento do seu Conselho. Estes sintetizadores podem não ser membros da Assembleia.
30   –    § 1. A função dos sintetizadores é escutar cuidadosamente os membros da Assembleia e expressar suas aspirações coletivas em um documento breve (como se fosse um plano estratégico). Os sintetizadores devem deixar de lado seus desejos ou opiniões pessoais – suas idéias individuais – com o fim de refletir com clareza a voz da Assembleia. Sua tarefa consiste em escutar e dar conta do curso dos intercâmbios. Eles recorrem aos informes dos diferentes grupos, integrando as contribuições provenientes dos debates em plenário.
§ 2. Os sintetizadores são os observadores atentos e as testemunhas privilegiadas das sessões plenárias. Eles recebem os relatórios escritos dos diferentes grupos em suas respectivas línguas. De tudo o que eles recolhem, elaboram um texto que será traduzido nas três línguas oficiais da Congregação.
31   –    § 1. Na elaboração desta Síntese estão atentos ao espírito da Assembleia, não repetem tudo o que foi falado, mas resumem as idéias mais importantes, subtraindo os aspectos mais significativos e as proposições concretas dos intercâmbios nos grupos e o incorporam à Síntese.
§ 2. Esta Síntese será distribuída e discutida em sessão plenária para o término dos intercâmbios, a qual ajudará aos sintetizadores a integrar as contribuições e as modificações provenientes desta discussão.
§ 3. O trabalho dos sintetizadores deverá ser apresentado à Assembleia pelo menos no final de cada semana ou toda vez que for solicitado pela Comissão Central, os sintetizadores proporão a Síntese, de maneira a colher o sentido do que foi expresso e entendido.
§ 4. Ao final, os sintetizadores proporão uma síntese que recapitulará o ocorrido e as pistas abertas pela Assembleia Geral.

B – Aprovação da síntese

32.  O documento de síntese final, traduzido para as três línguas oficiais, estará composto de três partes:

1º.   O trabalho de síntese preparado pelos sintetizadores, que recorre aos intercâmbios e as discussões em plenário e nos grupos: a Assembleia será chamada a aprová-la;
2º.   Os compromissos concretos para os próximos seis anos em nível de Congregação, que serão elaborados pela Comissão Central e, sucessivamente, propostos em plenário pelos Moderadores para discussão e que, ao término desta, se votará ponto por ponto.
3º.   As Linhas de Ação que os Grupos Continentais terão decidido, mas que não serão submetidas ao plenário nem para votação nem para aprovação.

§ Único –   Os documentos serão preparados em espanhol, francês e inglês. Para fim de comparação, os sintetizadores e/ou a Comissão Central indicarão qual é o texto “de base” do qual se fez as traduções.

A Comissão para recolher as propostas dos Assembleístas para a Revisão dos Estatutos e propostas de Postulados será composta, conforme votação ocorrida no sábado, dia 3, pelos seguintes Coirmãos:

            – Pe. Alberto VERNASCHI (Província de Roma)
– Pe. Juan Julián DÍAZ CATALÁN (Província de Zaragoza)
– Pe. Francis PUTHENTHAYIL (Província da Índia – Norte)

Pe. Alberto VERNASCHI, coordenador da Comissão para a Revisão dos Estatutos nomeada pelo Superior Geral no dia 19 de setembro de 2005 apresentou um histórico do trabalho realizado e das diversas etapas percorridas até se chegar ao Documento que foi enviado aos delgados à 41ª Assembleia Geral da Congregação da Missão.

Passou-se a um rápido Trabalho em Grupos Linguísticos. Apesar de todas as etapas por que passou o documento: consulta aos Visitadores (Circular de 15/10/2007), Reunião Internacional dos Visitadores (México, Jun/2007), texto reelaborado pela Comissão em reunião realizada nos dias 25-26/02/2008 e enviado às Províncias, tendo em vista as Assembleias domésticas e Provinciais pode-se sentir certa insatisfação de um bom número de assembleístas com o pouco tempo reservado para a análise do Documento apresentado pela Comissão para a Revisão dos Estatutos. Em nome da Comissão Central o Moderador argumentou que o tempo previsto para o Trabalho em Grupo não era para estudar o Documento, artigo por artigo, o que já se supõe realizado pessoalmente uma vez que os documentos a serem analisados pela Assembleia foram enviados com a devida antecedência.

Devido ao grande número das propostas de mudanças nos textos a serem votados apresentado pelos assembleístas e que deverão retornar à Comissão eleita para recolher as propostas dos Assembleístas para a Revisão dos Estatutos foram votados apenas os artigos 25b (já aprovado  pela 38ª AG) com pequena modificação proposta pela Província do Congo; artigo 54 (pequena modificação: inversão das figuras jurídicas); artigo 68 (Maior explicitação do § 3,3º no que se refere ao número de escrutínios em que se requer maioria absoluta (2) e orientações para o terceiro escrutínio; § 3,4º explicitação de como se resolverão os casos de empate).

Pe. Alberto VERNASCHI, na sessão da tarde informou do trabalho realizado pela Comissão encarregada pelo Superior Geral para preparar a apresentação dos Postulados à Assembleia Geral 2010. A Comissão era composta, além do Pe. VERNASCHI, pelos padres Yves DANJOU e Ziad HADDAD. Segundo o Pe. VERNASCHI a Comissão com o fim de facilitar o trabalho dos membros da Assembleia reuniu os Postulados por categorias, indicando à Assembleia como estudá-los e dando as razões do seu procedimento em cada um dos Postulados.

Os Postulados foram organizados da seguinte maneira:

  1. Postulados relacionados com os Estatutos
  2. Postulados vários
    a – Postulados que a Comissão recomenda que sejam submetidos ao Superior Geral e seu Conselho
    b – Postulados que a Comissão recomenda que não sejam submetidos à Assembleia salvaguardando o direito que cada membro tem a apresentá-lo para ser discutidos.

            Foram aprovados, por enquanto, apenas dois postulados:

  1. O número de Assistentes, incluindo o Vigário Geral, passa a ser de cinco.
  2. Pedido ao Superior Geral e seu Conselho para que continue a promover o estudo da situação de pessoas em nossas casas que não são membros da Congregação e cooperam totalmente com as atividades dos missionários durante um tempo limitado.

Esgotado o tempo reservado para os trabalhos a sessão foi encerrada às 18h45.