Por Jorge Luis Rodriguez

Depois de um longo e intenso tanto pessoal como comunitária, provincial e internacional que levou à Assembléia Geral 42 da Congregação da Missão, os delegados de todas as províncias da Congregação, que estavam reunidos na Universidade DePaul, em Chicago, de 27 a 15 de Julho. Nós estávamos compartilhando, discutir e documentos dizando profundas previamente preparado pela Comissão Preparatória. Estes foram usados para elaborar o documento final da nossa Assembléia Geral, que irá apontar a todos os membros da Congregação, o caminho a seguir nos próximos seis anos.

Quero agradecer o Espírito de Deus, o Espírito de Jesus, o Espírito Santo por se juntar a nós e iluminar-nos ao longo da nossa Assembleia.

Graças à presença da graça de Deus, fomos capazes de realizá-lo. Esta 42ª Geral desde o seu início até ao seu encerramento, conjunto oferecido sinais concretos de esperança, fé, amor e zelo apostólico também motivar-nos a ser testemunhas proféticas em palavra e ação, tendo em conta a celebração do 400º aniversário do Carisma Vicentino . Tudo isso incentivados pelo nosso lema: “400 anos de fidelidade ao carisma e Nova Evangelização”.

Vamos levar nossas Províncias, Vice-Províncias, regiões, comunidades locais e cada irmão, linhas de ação e compromissos concretos a serem realizados nos próximos seis anos e além.
Em momentos diferentes e de diferentes maneiras, nesta Assembleia, ouvimos sede aprofundar a nossa própria vocação, a fim de responder a profecia que a Providência colocou diante de nós.

Deixe-me citar duas fontes de nossa espiritualidade que resumem o nosso ser vicentinos: as regras comuns e as Constituições e Estatutos.

Há dois capítulos que eu gostaria de convidá-lo a ler à luz do que temos compartilhado durante a Assembléia: Este é o décimo capítulo de nossas regras comuns falando de práticas espirituais na congregação e o quarto capítulo das nossas Constituições que fala em a oração”.

Este é o fundamento, a fonte, o que fará com que os nossos compromissos, nossas linhas de ação expressa no documento final, é finalmente uma realidade que perdura.
São Vicente de Paulo, de acordo com as regras comuns no capítulos XII e XIV, exorta-nos a essas regras tenham raízes em nossas mentes e em nossos corações, que temos sempre com a gente e lê-los a cada três meses. Este é o meu convite e meu desejo mais profundo: que cada um de nós, cada confrade da Congregação da Missão, leia regularmente, todos os dias, um artigo ou uma seção das Constituições e regras comuns.

Há também três livros, três livros sagrados, eu convido você para transportar todos os lugares para se juntar a nós onde quer que estejamos: em casa, em uma viagem, em férias. São eles: a Bíblia, o breviário e as Regras e Constituições comuns.

Como nós embarcar nesta viagem de seis anos como membros da “Pequena Empresa”, como eu a chamava San Vicente, faria começamos esta jornada na Capela das Aparições da Rue du Bac, Mãe das Filhas da Caridade, e na Capela de São Vicente de Paulo, na Rue de Sevres, em Paris, a fim de pedir a Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e São Vicente a sua intercessão para a pequena Empresa e da Família Vicentina em todo o mundo.

Antes da minha viagem a Roma, quero nomear todos os membros da Congregação da Missão, fazer uma peregrinação a esses dois lugares e celebrar a Eucaristia na capela de St. Vincent de Paul, no domingo 14 de agosto e Capela nossa Senhora da Medalha Milagrosa, no dia seguinte, na segunda-feira 15 de Agosto.
Vou colocar todos os nossos sonhos, esperanças e desejos nas mãos de nossa Mãe Celestial e nosso Fundador para que, com a ajuda da Divina Providência, podemos entender e seguir o plano de Jesus para todos nós nesta jornada em que embarcaram.

Continuamos a sonhar, mas sonhar juntos.

Se você sonha sozinho o sonho continua a ser um sonho; Se nós sonhamos juntos, o sonho torna-se realidade.