Free songs

Vale do Jequitinhonha

VOLTAR

O Município de Francisco Badaró está localizado no médio Jequitinhonha.

O clima semi-árido é característico da região que registra baixo índice pluviométrico, apresentando uma vegetação típica, com área esparsa do cerrado e com maior concentração da caatinga. A economia local é desenvolvida através da: Agropecuária de subsistência, artesanato em algodão, madeira, taquara, palha, etc.,produção caseira de doces, queijos, requeijão, licores, cachaça, produção de mel e própolis. Destaca-se também o artesanato de jóias em ouro e prata. Segundo Censo IBGE 2000, o Município possui 10.432 habitantes, sendo 2.563 habitantes na cidade e 7.869 habitantes na zona rural. O IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) de Francisco Badaró é 0,646, o município está em 754ª lugar entre os 853 municípios mineiros.

Jenipapo de Minas, vizinho ao município de Francisco Badaró, possui uma área de 285,6 Km². A População Total do Município é de 6.490 habitantes, de acordo com o Censo Demográfico do IBGE (2000), Conforme o Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD (2000), seu IDH-M é de 0.618 ficando em 807ª lugar entre os municípios mineiros. Emancipado há 10 anos, Jenipapo de Minas, encontra-se ainda no seu terceiro mandato administrativo e, por ser um Município novo, tem muitos problemas de infra-estrutura. O município apresenta um relevo predominantemente de planície, apresentando elevação em pontos isolados, com altitude na Zona Rural correspondente a 1200 m e na Zona Urbana a 480 m. O Município fica a 590 km da Capital. Possui um solo argiloso e areno – argiloso; seu clima é quente e seco, a vegetação predominante é o cerrado, a caatinga e árvores caducifólias. Sua economia baseia-se em maior parte na agricultura e pecuária de subsistência que sofre graves conseqüências por causa da seca que assola a região, levando grande número de pessoas a deixarem as suas famílias e migrarem para outros Estados para trabalharem no corte de cana-de-açúcar e na colheita de café, durante as temporadas para ajudarem no sustendo das famílias. Existem também alguns comércios, pequenas oficinas de transformações, nas quais se destacam: marcenarias de móveis em artesanato, alambiques, engenhos, produção artesanal de queijos, requeijões, doces, licores, tendas de farinha e artesanato em teares, toalhas, cobertores, tapetes, etc.