Free songs

Setembro – Mês da Bíblia

30 de abril de 2014
VOLTAR

O mês de setembro é um mês muito especial para todos nós. Comemoramos com toda a Igreja o mês da Bíblia, a Palavra que Deus nos deixou como presente para iluminar e santificar nossa existência. Como seria bom se este setembro significasse para todos nós um compromisso maior com a leitura da Palavra de Deus! A Bíblia, lida e meditada a cada Missa, deve ser também nosso principal livro de oração, a fim de que entremos no caminho do seguimento de Jesus como seus discípulos e missionários.

A sugestão da Igreja este ano é que aprofundemos os capítulos 15 a 18 do livro do Êxodo. O capítulo 15 traz o cântico de Moisés e de Maria, um louvor a Deus pelas maravilhas realizadas historicamente em vista da salvação de seu povo. O final do capítulo 15, o 16 e o 17 trazem as dificuldades do povo de Deus no deserto: falta de água e de alimento. Um convite para contemplarmos, nos dias atuais, nossas sedes e necessidades, nossas dificuldades de caminhar e nossos temores. A leitura destes capítulos muito nos ajudaria, pois, nos colocando diante desta realidade de carências, o texto nos mostra a bondade de Deus e sua presença junto do povo, ajudando-o a superar suas dificuldades. O final do capítulo 17 traz o episódio da guerra contra os amalecitas, durante a qual Moisés ficou de braços abertos rogando a Deus pelo povo, o que lhe garantiu a vitória contra o terrível inimigo. Um convite à oração, à oração incessante e partilhada, pessoal e comunitária, haja vista a presença de Aarão e Hur sustentando os braços de Moisés. Tais cooperadores são símbolo da comunidade, espaço da experiência partilhada de Deus e garantia de bênçãos para todos. No capítulo 18, contemplaremos o encontro de Moisés com seu sogro Jetro e o redimensionamento da comunidade peregrina no deserto, especialmente no que tange à autoridade e à coparticipação. Jetro significa para Moisés a divisão de seu poder, a participação de todos, a delegação de funções e atribuições a várias pessoas. É a comunidade de serviços e ministérios que, longe de se centrar em uma única pessoa, mesmo que tenha mandato de coordenação, busca a corresponsabilidade no serviço e a multiplicação dos agentes pastorais, em vista única e exclusivamente do bem de todos.

Por esses muitos motivos, sugiro que cada um se comprometa a esta leitura. Poderíamos nos guiar pelas seguintes perguntas: O que o texto bíblico diz? O que o texto bíblico diz para nós hoje, em vista de nossa conversão pessoal? O que o texto bíblico diz para que nossa comunidade cresça no seguimento de Jesus e na missão evangelizadora? Certamente essas questões nos ajudarão a adentrar melhor esses capítulos do Êxodo e nos impulsionarão a uma leitura viva e estimulante da Palavra de Deus.