VOLTAR

nocoes

  1. As NORMAS PROVINCIAIS são diretrizes elaboradas no âmbito da Província e assumidas por ela, objetivando a vivência de nossa Vocação Vicentina, nas circunstâncias de tempo e lugar em que vive a Província. Sua razão de ser, alcance e condições de obrigatoriedade são apresentadas nos números 27, 107-12º, 125 –1º e 7º, e 143-1º das CC. nos números 9 §1, 17, 20 §1, 69-1º, 4º e 13º, 94, 101 e 108 §2 e 3 dos EE da CM.
  1. Além das Normas Provinciais, a PBCM tem seu ESTATUTO, de caráter Civil, devidamente registrado em Cartório.[1]
  1. Para atingir o fim da Congregação, a PBCM procurará:

1.º)  Imbuir-se do espírito de Jesus Cristo, isto é, de suas disposições, intenções e engajamento pessoal, em favor dos empobrecidos da sociedade. Jesus, Evangelizador dos Pobres, é a regra da Província.

2.º)  Exercer ação missionária que vise atender aos apelos dos pobres e da Igreja, nas situações concretas da realidade, pela organização pastoral do Povo de Deus, em áreas e situações de pobreza, sobretudo no interior e na periferia das cidades, ajudá-los na vivência integral de sua fé, lutar com eles na defesa dos seus direitos e contribuir com o processo de libertação de toda forma de exploração e exclusão.

3.º)  Aplicar-se à formação de clérigos e leigos(as), levando-os a comprometerem-se com a causa evangélica dos pobres.

[1] Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro, n.º 31.744, Livro A, n.º 19, em 14/7/1978.