Free songs

Dicas Litúrgicas (06-27/11)

30 de abril de 2014
VOLTAR

06 de Novembro – Solenidade de Todos os Santos (Ano A)

A santidade cristã está fundada no Batismo; é vocação de todas as pessoas. Por isso a 1ª leitura diz que o número dos salvos é infinito. A 2ª leitura diz que nada pode ser comparado com o que Deus reserva para o ser humano. Seu projeto de santidade para nós é renovação de toda a vida e da sociedade em seu todo. No Evangelho, as bem-aventuranças aparecem como caminho de santidade.

Sugestões: Evitar mostrar foto de santos, para não resumir a santidade a coisa de “santos prontos”. Concretizar a santidade na realidade de todas as pessoas. No Evangelho se poderia fazer uma apresentação das bem-aventuranças, com faixas, carregadas por várias pessoas, representando que a santidade é encarnada, para a criança e para o adulto, o homem e a mulher, o empregado e o patrão, etc. Uma unção com perfume caberia muito bem, no sentido de levar, pela vida de santidade, o perfume de Cristo para o mundo.

13 de Novembro – XXXIII Domingo Comum (Ano A)

A liturgia nos convida a estarmos atentos à nossa vida (Evangelho e 2ª leitura). A preocupação com a vinda do Senhor remete à importância de estarmos atentos ao dia-a-dia de nossas vidas. Olhar o futuro é firmar-se no presente. De nada adianta ficar esperando o Senhor de braços cruzados. Por isso, a 1ª leitura mostra a figura da mulher trabalhadora (que não espera nada “cair do céu”) e servidora dos Pobres, preocupada com a comunidade e com o bem de todos.

Sugestões: como já está chegando ao fim do ano litúrgico, seria interessante apresentar os frutos da caminhada paroquial deste ano, frutos do trabalho de todos aqueles que não ficaram de braços cruzados. Poderia haver uma procissão das pastorais, afixando algum dizer ou foto em um painel sobre a paróquia.
20 de Novembro – Solenidade de Cristo Rei (Ano A)

A realeza de Cristo, bem diferente da realeza dos príncipes e reis do mundo, está centrada no serviço à vida, especialmente daqueles mais pobres e sofredores. Tanto o Evangelho como a 1ª leitura mostram que as obras de misericórdia constituem o jeito de Jesus viver. Jesus se apresenta como o servidor da humanidade. E cada ato feito aos irmãos mais sofredores é feito a ele mesmo. É um “presente dado ao rei”. Nesta prática, seguindo a intuição da 2ª leitura, poderemos ir vencendo aos poucos as forças da morte.

Sugestões: Poderia ter a entrada de cartazes com as obras de misericórdia durante a proclamação do Evangelho ou mesmo uma adaptação em forma teatral. Em caixas de presente, bem enfeitadas “como se fosse para o rei”, poderiam estar fotos de sofredores. Um painel com isso na frente da Igreja chamaria a atenção para o tema da liturgia. Músicas que falam dos Pobres seriam mais oportunas do que as que falam de realeza. Sugerir como atitude concreta do advento, que começa na próxima semana, uma das práticas mencionadas no Evangelho.

27 de Novembro – 1º Domingo do Advento (Ano B)

A atenção e a vigilância aparecem como tema desta liturgia. Para tanto, é preciso docilidade diante de Deus. Ser como o barro nas mãos do oleiro (1ª leitura) é deixar-se ser moldado por Deus, pela força de sua Palavra, lida e meditada. Precisamos colocar nas mãos de Deus nossa vida e deixar que ele a conduza. E Deus é fiel (2ª leitura), sua graça jamais nos falta, nenhum dom nos falta para darmos à nossa vida um rumo de acordo com a vontade de Deus.

Sugestões: Aproveitar o símbolo da coroa do Advento, fazendo uma entrada solene, com a música: “Das alturas orvalhem os céus”. Junto com a coroa, pessoas dançando com jarros de barro fariam ligação com a leitura. O fogo para acender a primeira vela pode ser trazido em uma lamparina (símbolo da vigilância). Esse momento podia ser depois do Evangelho ou da homilia. Se o presépio já estiver montado, ficaria bem a entrada das imagens.