Amados irmãos e irmãs!

«Non iam servos, sed amicos» – «Já não vos chamo servos, mas amigos» (cf. Jo 15, 15). Passados sessenta anos da minha Ordenação Sacerdotal, sinto ainda ressoar no meu íntimo estas palavras de Jesus, que o nosso grande Arcebispo, o Cardeal Faulhaber, com voz um pouco débil já mas firme, nos dirigiu, a nós novos sacerdotes, no final da cerimónia da Ordenação. Segundo o ordenamento litúrgico daquele tempo, esta proclamação significava então a explícita concessão aos novos sacerdotes do mandato de perdoar os pecados. «Já não sois servos, mas amigos»: eu sabia e sentia que esta não era, naquele momento, apenas uma frase «de cerimónia»; e que era mais do que uma mera citação da Sagrada Escritura. Estava certo disto: neste momento, Ele mesmo, o Senhor, di-la a mim de modo muito pessoal. No Baptismo e na Confirmação, Ele já nos atraíra a Si, acolhera-nos na família de Deus. Mas o que estava a acontecer naquele momento, ainda era algo mais. Ele chama-me amigo…

Solenidade dos santos Pedro e Paulo
Basílica Vaticana
, 29 de Junho de 2011

* * * * *

Amados Irmãos no ministério
episcopal e sacerdotal
Queridos irmãos e irmãs!

Para mim, este é um momento de alegria e de grande gratidão (…)em particular pelo facto de que agora, no final, pude mais uma vez voltar à Catedral de Freising (…) Agora que me encontro nesta Catedral, emergem do meu íntimo muitas recordações ao ver os antigos companheiros e os jovens sacerdotes que transmitem a mensagem, a tocha da fé. Emergem as lembranças da minha ordenação (…): quando estava aqui, prostrado por terra e, como envolvido pela Ladainha de todos os santos, pela intercessão de todos os santos, me dava conta de que neste caminho não estamos sozinhos, mas que a grande multidão dos santos caminha connosco e os santos ainda vivos, os fiéis de hoje e de amanhã, nos apoiam e nos acompanham. Depois foi o momento da imposição das mãos… e, enfim, quando o Cardeal Faulhaber nos bradou: “Iam non dico vos servos, sed amicos” “Já não vos chamo servos, mas amigos”, então experimentei a ordenação sacerdotal como a iniciação na comunidade dos amigos de Jesus, que são chamados para permanecer com Ele e anunciar a sua mensagem.

Freising, 14 de Setembro de 2006