Sua Navegação: Página Inicial > Família Vicentina > 350 Anos Morte de São Vicente e Santa Luisa > Orações e Celebrações

 

:: 350º ANIVERSÁRIO DA MORTE DE SÃO VICENTE
DE PAULO E DE SANTA LUISA DE MARILLAC::

Selecione uma opção

Ficha de Reflexão 2: Novembro/2009

Ficha de Reflexão 3:
Dezembro/2009

 

 

Orações e Celebrações

Novena a São Vicente de Paulo
Padroeiro das Obras da Caridade

 

PARA TODOS OS DIAS

Ato da Presença de Deus

Meu Senhor e meu Deus, creio que tu estás aqui, que me vês e que me ouves. Amo-te com profunda reverência. Peço-te perdão dos meus pecados e graças para fazer com frutos a nossa novena. Abençoa cada um de nós, as nossas famílias, os nossos amigos e o mundo.  Amém!

Oração a São Vicente de Paulo

Senhor, que para a salvação dos Pobres e a formação do clero, cumulastes de dons apostólicos vosso Bem-aventurado servo São Vicente; a nós que buscamos seguir os ensinamentos de sua vida, concedei-nos continuar no mundo a missão do vosso Filho e abrasar-nos sempre em vosso amor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

1º Encontro

Deus prepara são Vicente de Paulo

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: Ao iniciarmos esta novena em honra de São Vicente de Paulo, queremos conhecer um pouco mais sua história e espiritualidade a fim de que ele seja para nós fonte de inspiração e modelo de santidade.

Leitor: Vicente nasceu em abril de 1581, no seio de uma família cristã e camponesa, na aldeia de Pouy, na França. Logo cedo, percebendo sua inteligência e interesse pela religião, seu pai o envia para outra cidade a fim de estudar e assim, chegar ao sacerdócio em 1600.

Todos: Senhor, olhai por todas as famílias a fim de que sejam verdadeiros lares cristãos onde as crianças, como um dia foi São Vicente, possam aprender com seus pais a amar-vos e a reconhecer a dignidade do trabalho.

Leitor:Anos depois, ao chegar a Paris, Vicente de Paulo passa por situações difíceis, é acusado injustamente de roubo e não consegue uma boa colocação que lhe permita ajudar financeiramente sua família. Após essa provação, ele vai trabalhar como distribuidor de esmolas da Rainha Margarida e passa pela provação da fé, ao se compadecer de um amigo teólogo que sofria terrivelmente e se oferecer a Deus para sofrer em seu lugar.

Todos:Ajudai-nos, Senhor, a viver as injustiças, as provações e as dúvidas de fé como momento de purificação e de aprendizado. E que sigamos o conselho de São Vicente: “É preciso ter vida interior, é preciso tender para ela; se falharmos nisso, vamos falhar em tudo”.

Dirigente: Vamos concluir nossa novena pedindo a São Vicente de Paulo que interceda por todos aqueles que são acusados injustamente e que passam por dúvidas de fé.

Oração a São Vicente de Paulo

2º Encontro

Todo entregue a deus e aos pobres

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: São Vicente sai da noite da fé quando decide doar toda a sua vida a serviço dos Pobres. A partir de então, sua vida pertence aos Pobres. Sente-se à vontade e feliz numa paróquia do campo. Sai de lá para trabalhar com uma família importante de sua época. Entretanto, Deus não o estava afastando dos Pobres, mas revelando sua verdadeira vocação.

Leitor: Em 1617, ele estava em Folleville confessando um aldeão em perigo de morte, e se dá conta de que o “Pobre povo se condena por não conhecer as coisas necessárias para a salvação e por falta de confissão!” E para atender aos Pobres do campo, ele funda anos mais tarde, a Congregação da Missão.

Todos: “Se houver entre nós os que pensam que estão na Missão só para evangelizar os Pobres e não para os aliviar; para curar suas necessidades espirituais e não as temporais, eu respondo que devemos assisti-los e fazê-los assistir de todas as maneiras, quer por nós, quer pelos outros.”

Leitor: Seis meses mais tarde, em agosto do mesmo ano, ele é padre em Châtillon-les-Dombes; encontra a doença e a miséria de uma família inteira. Lança seus paroquianos no caminho da caridade, mas percebe que é uma caridade desorganizada. Cria, então, confrarias ou equipes de voluntárias para dar continuidade ao trabalho que poderia se tornar esporádico ou sentimental.

Todos: Essas confrarias conhecidas hoje como Associação Internacional das Caridades, reúnem mulheres voluntárias que desejam servir os Pobres corporal e espiritualmente.

Dirigente:Concluamos nossa novena, pedindo a São Vicente queabençoe o trabalho realizado pelos Padres e Irmãos da Congregação da Missão e das Voluntárias da Caridade e suscite novos membros para que as duas fundações continuem realizando sua missão junto aos Pobres.

Oração a São Vicente de Paulo

3º Encontro

Fazer o que o filho de deus fez

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: Em 1633, com Santa Luísa de Marillac, São Vicente funda a Companhia das Filhas da Caridade. No pensamento de Vicente, a Filha da Caridade “não faz” um serviço de Pobres, ela é a serva de Cristo nos Pobres. Trata-se para ela de um estado permanente que ele chamou de “estado de caridade”.

Leitor: Uma outra face do Cristo, segundo Padre Vicente, é: o Servo. Somos todos chamados a segui-lo no caminho do serviço. O mesmo dom de si em estado puro e radical opera cotidianamente, por um mesmo impulso do coração: servir ao Pobre é servir a Deus!

Todos: “Para ser verdadeira Filha da Caridade é necessário fazer o que Filho de Deus fez sobre a terra. E o que fez ele de modo especial? Trabalhou continuamente pelo próximo, visitando e curando os enfermos, instruindo os ignorantes visando à sua salvação.”

Leitor: Tornar-se servidor seguindo os passos de Cristo é um estado de vida. “Estar a serviço de” implica um engajamento total e constante. São Vicente e Santa Luísa desposam instintivamente, por eles e pelos outros, a condição de Ser servidores: “ser”palavra que esvazia o “fazer” a qualquer preço para nos levar do ativismo à escuta.

Todos: O vicentino obedece a seu mestre: “Nosso Senhor quis ajustar-se aos Pobres para nos dar o exemplo de fazer o mesmo”.

Dirigente: Peçamos a São Vicente que nos ensine a ser servidores uns dos outros e, em especial, dos Pobres, evitando todo ativismo. Que por sua intercessão, Deus envie mais vocações às Filhas da Caridade.

Oração a São Vicente de Paulo

4º Encontro

Batismo: vocação para seguir jesus

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: Após termos relembrado alguns acontecimentos importantes da vida de São Vicente, vamos, nos próximos dias, rezar sua espiritualidade e sua obra. Hoje vamos  refletir sobre como São Vicente de Paulo viveu sua vocação batismal que é comum também a nós.

Leitor: Quando São Vicente reflete sobre seu batismo, descobre que o Espírito Santo legou para ele o mesmo espírito de Jesus e fica fascinado por aquele que o faz viver do mesmo espírito de seu Salvador. Voltando-se para o Deus Trindade que nele habita, reza com fervor:

Todos: “Ah! Senhor, atraí-nos para vós, dai-nos a graça de seguir vosso exemplo... que nos leve a procurar o reino de Deus e sua justiça, e a nos abandonar a ele em troca do resto; fazei que vosso Pai reine em nós, e reinai vós mesmo em nós, fazendo-nos reinar em vós pela fé, pela esperança e pelo amor, pela humildade, pela obediência e pela união com vossa divina Majestade.”

Leitor: O Batismo supõe um movimento duplo de aniquilamento e enriquecimento. É preciso viver e morrer em Cristo, como dizia São Vicente: “É preciso... que vos esvazieis de vós mesmos para vos revestirdes de Jesus Cristo”. O Batismo é um chamado de Deus, uma vocação e inclui outro apelo. Quem diz apelo, diz consagração em favor da obra à qual Deus nos destina.

Todos: São Vicente exorta frequentemente os seus nesse sentido e nos convida a viver com eles em estado de oferenda: “Felizes aqueles que se entregam a Deus sem reserva para fazer as obras que Jesus Cristo fez, e para praticar as virtudes que Ele praticou”.

Dirigente: Concluamos nossa novena pedindo a São Vicente que nos ajude a viver o nosso Batismo com consciência e devoção.

Oração a São Vicente de Paulo

5º Encontro

a fé de são vicente de paulo

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: A fé que anima São Vicente é sóbria: não existem êxtases nem visões, mas transforma sua vida. Nele tudo é dinamismo, seu ritmo diário, seus empreendimentos, suas palestras, sua correspondência, Vicente é um homem centrado nos acontecimentos.

Leitor: A provação da fé pela qual passou foi duríssima, mas formadora; ficou mais apto para compreender as almas e fazer-se apóstolo da compaixão e da misericórdia. Isto transparece por meio das cartas à Santa Luísa de Marillac, apressada por natureza, que ele deve conduzir à serenidade:

Todos: “Descarregai vosso espírito de tudo o que vos faz pena, Deus vai cuidar. Não saberíeis afobar-vos nisso sem contristar (por assim dizer) o Coração de Deus, porque ele vê que não o honrais suficientemente com a santa confiança. Confiai nele, eu vos suplico, e tereis o cumprimento daquilo que vosso coração deseja.”

Leitor: Sua insistência permanece legítima, é necessário começar pela fé e acrescenta: “Não há nada capaz, como as verdades eternas, para encher o coração e nos guiar com segurança”. Aderir fortemente a Deus, apegar-se a ele como um pobre na aflição ou melhor, como uma criança segurando, alegre, a mão de seu Pai, tal é o objetivo de Vicente que deseja partilhar sua experiência fundamental: seu socorro está em Deus.

Todos: A fé é o seu trampolim, e não cessará de empreender e agir por fidelidade a Deus, para corresponder a seu “bem querer”, fazer “seu beneplácito”.
Dirigente: Que São Vicente de Paulo nos alcance uma fé firme que nos ajude a viver nosso dia a dia segundo a vontade de Deus.

Oração a São Vicente de Paulo

6º Encontro

A paixão de são vicente pelo reino de deus

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: São Vicente de Paulo é um apaixonado e este dom de Deus lhe dá seu verdadeiro perfil. Ele mesmo confessa seu temperamento difícil: “Eu me exaspero, sou volúvel, me exalto e repreendo”. É possuído pelas virtudes dos fortes: a coragem, a audácia, a firmeza, uma certa temeridade e acima de tudo, o ardor, o zelo.

Leitor: Já se falou muito de sua tolerância em esperar, de seu ritmo lento. Ele reflete, conta com o tempo, porém não titubeia mais depois que o objetivo foi estudado e definido. Fica inteiramente empenhado nele com este duplo princípio:

Todos: “Há duas coisas a considerar: saber não somente fazer o bem, mas que esse bem seja bem feito.”

Leitor: São Vicente foi um homem cheio de ardor. Alguém poderia ter dito que era “obcecadamente zeloso”; um amante da ação preparada e amadurecida no calor da meditação. Ele nos coloca em estado de aquecimento, os olhos voltados para a vinda do Reino de Deus, resumindo tudo nestas fórmulas lapidares e estimulantes:

Todos: “É preciso estar totalmente disponíveis para Deus e para o serviço do povo.” E “É preciso... estar prontos e disponíveis para ir e vir aonde agrada a Deus, seja para as Índias ou outro lugar, enfim, colocar-nos de bom grado a serviço do próximo para ampliar o reino de Jesus Cristo nas almas.”

Dirigente: Peçamos a São Vicente de Paulo que interceda por nós a fim de que tenhamos o mesmo ardor no anúncio do Evangelho e o mesmo zelo na construção do Reino de Deus.

Oração a São Vicente de Paulo

7º Encontro

Os pobres nossos senhores e mestres
Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: O Padre Vicente é o homem dos Pobres. Nós o ouvimos suspirando de fadiga e de amor: “Os Pobres, que não sabem para onde ir, nem o que fazer, que já sofrem e se multiplicam todos os dias, são o meu peso e minha dor”. Isso se torna mais categórico diante dos confrades em reunião quando lhes afirma:

Todos: “Nós somos os padres dos Pobres. Deus nos escolheu para eles. Lá está nossa riqueza, tudo o mais é acessório.”

Leitor: Os Pobres! Em nossos dias, essa palavra perturba tanto a ponto de transformar-se num repertório vazio, exprimindo sempre a mesma realidade lamentável. São Vicente tem o hábito bem conhecido de ver tudo. Esse homem vê a realidade, perscrutando-a com intensidade, aprofundando o olhar em todos os que cruzam o seu caminho:

Todos: Os camponeses de sua terra, os andarilhos das cidades e das estradas, os aldeões, os errantes, os serventes, os marginais, os boêmios, os estropiados. Ele se compadece dos inválidos, dos velhos e dos órfãos, dos prisioneiros das galeras a ele confiados e do imenso cortejo de todos aqueles que a angústia da existência aprisiona e a fome mortifica.

Leitor: O Pobre é aquele que descobre para nós o primeiro Sofredor, aquele que carrega o peso de todas as misérias do mundo: Jesus Cristo, Pobre e humilhado. O Pobre é “sacramento de Cristo”. Vicente exprime essa mística do Pobre em palavras que deram a volta ao mundo:

Todos: “Não devo considerar um pobre aldeão ou uma pobre mulher conforme seu exterior, nem conforme o que parece pelo reflexo de seu espírito; tanto assim que muitas vezes não têm sequer a figura e o espírito de pessoas racionais, tão grosseiros e terrenos eles são. Virai a medalha, porém, e vereis pelas luzes da Fé que o Filho de Deus, que quis ser Pobre, nos é representado por esses Pobres.”

Dirigente: Que São Vicente nos ensine a “virar a medalha” todos os dias para assim encontrarmos e servirmos Jesus nos Pobres.
Oração a São Vicente de Paulo

8º Encontro

A Igreja, cidade dos pobres

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: Um dos aspectos que mais toca o leitor assíduo de São Vicente de Paulo é esta sua obstinação em criar estruturas, tecer laços precisamente em torno dos Pobres. Ele planeja sem cessar novas organizações e faz todos os seus membros trabalharem juntos.

Leitor: Filhas da Caridade, Missionários da Congregação, Senhoras das Confrarias da Caridade, padres e responsáveis civis, homens e mulheres de boa vontade, todos são convidados a se unir para socorrer as necessidades dos Pobres. Vicente de Paulo inaugura assim, uma nova maneira de “fazer Igreja”.

Todos:Com mais forte razão, os cristãos, sendo membros de um mesmo corpo e membros uns dos outros, devem compadecer-se uns dos outros. O quê? Ser cristão e ver seu irmão aflito, sem chorar com ele, sem sentir-se doente com ele! Isso é não ter caridade; é ser cristão de rótulo; é não ter nada de humanidade; é ser pior que os animais.”

Leitor: São Vicente sabe que Deus não faz distinção de pessoas e que a Igreja é o povo de Deus em comunhão. Essa é a visão profética de uma Igreja embebida no Evangelho. Ele nos mostra ainda, concretamente, que a evangelização dos Pobres é como o critério da presença ativa do Espírito Santo em sua Igreja. Pode-se dizer que Vicente desenvolveu toda a sua ação sobre base eclesial.

Todos: “Servindo os Pobres, serve-se a Jesus Cristo. Ó minhas filhas, isso é verdade! Vós servis a Jesus Cristo na pessoa dos Pobres. Isso também é tão verdade quanto o estarmos aqui”.

Dirigente: Peçamos a São Vicente que interceda pela Igreja Católica para que ela nunca se afaste dos Pobres e oprimidos, mas que sua voz se erga sempre para defender seus direitos e promover a sua dignidade.

Oração a São Vicente de Paulo

9º Encontro

A Oração, a alma da ação

Oração: Ato da Presença de Deus

Dirigente: Deus, o Reino, os Pobres! Como levar a termo tão grande tarefa? Vicente não tem, senão, um segredo: a oração. Para ele, é a paixão de sua vida, “o centro da devoção”. Quando ele aborda esse tema, emprega imagens que exprimem elementos vitais como se quisesse comunicar sua importância, fazer ver sua necessidade absoluta.

Leitor: Para São Vicente a oração é a alma, o ar, o alimento, o orvalho, o reservatório, a fonte da juventude, o sol, o pão de cada dia, a sementeira. Conhecemos sua frase famosa que se impõe de chofre, tão forte ela é:

Todos: “Dai-me um homem de oração e ele será capaz de tudo.”

Leitor: Fazer oração. Todos os dias. Durante uma hora. A norma está aí, quase lancinante, transcende o tempo para chegar até nós e nos libertar do aburguesamento espiritual. Pois bem, existe o perigo de se instalar na “insensibilidade” ou no fastio. Por isso, em 1648, diz para suas Irmãs: “Não deixeis a oração, não a  deixeis de modo nenhum, pois a oração é tão excelente que nunca se pode fazê-la demais”.

Todos: “Uma coisa importante à qual deveis aplicar-vos cuidadosamente, é a de ter grande contato com nosso Senhor na oração; lá está o reservatório onde encontrareis as instruções que vos serão necessárias para desempenhar a tarefa que tereis.”

Dirigente: Para o bem do Reino, da Igreja, dos Pobres e de cada um de nós, façamos nosso o pedido de São Vicente de Paulo neste último dia da nossa novena: “Meu Salvador Jesus Cristo, eu vos suplico de nos conceder abundantemente o dom da oração, a fim de que, conhecendo-vos, possamos adquirir vosso amor”.

Oração a São Vicente de Paulo

Organizada por: Ir. Carolina Mureb Santos, FC
Fonte: “Orar 15 dias com São Vicente de Paulo” – Pe. Jean-Pierre Renouard, CM

 

 

 

Província Brasileira da Congregação da Missão
Rua Cosme Velho, 241 - Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21)3235-2900 | E-mail: pbcm@pbcm.com.br
Desenvolvido por Eduardo Almeida