Free songs

Encontro de Coirmãos Jovens em Quito – Equador – Notícias – 2010

29 de abril de 2014
VOLTAR

Nos dias 18 a 23 de outubro de 2010, reuniram-se em Quito, Equador, 28 coirmãos da América Latina. Estavam presentes 9 países (Brasil, Colômbia, México, Venezuela, Honduras, Haiti, República Dominicana, Peru e Equador). Representando a PBCM, estavam presentes os Padres Luís Carlos do Vale Fundão, Marcus Alexandre Mendes de Andrade e Agnaldo Aparecido de Paula (como membro do Conselho Executivo de CLAPVI e conferencista) e o Diácono Vanderlei Alves Reis.

  

Tendo chegado alguns dias antes do início do encontro, junto com vários coirmãos, a delegação brasileira pôde conhecer alguns lugares turísticos de Quito, como o monumento “La Mitad del Mundo”, onde passa a linha do Equador, a “Virgen del Panecillo”, uma imensa imagem de Nossa Senhora, e o “Casco Colonial”, o centro histórico da capital, que remonta ao século XVI e XVII.

  

No dia 18, primeiro do encontro, depois das apresentações e boas-vindas de costume, houve várias apresentações, nas quais cada um pôde partilhar suas experiências ministeriais e trabalhos apostólicos. Como foi rico perceber a vitalidade e a variedade de nossa Congregação!

  

  

Algumas apresentações merecem um destaque especial, pela originalidade de seu serviço aos pobres e pela fidelidade criativa como estas formas de apostolado são exercidas. Visitamos, por fotos e pela partilha dos Coirmãos, as missões junto aos indígenas em Honduras-Nicarágua, uma experiência interprovincial muito rica, e no México. Em ambas as missões, os Coirmãos, apoiados por leigos e lideranças locais, se desdobram para se fazer presença solidária junto aos pobres e sofredores. Viajando por rios e florestas, a presença vicentina ilumina a vida dos preferidos de Deus, a quem somos enviados!

 

 

Outras experiências apresentadas foram os trabalhos em paróquias, centros sociais e em colégios. À PBCM coube apresentar, junto com nossa história e elementos de nosso planejamento provincial, as experiências de trabalho em projetos sociais, no Santuário do Caraça, no Vale do Jequitinhonha, no Instituto São Vicente de Paulo e em Contagem.

 

No dia 19, após a Celebração Eucarística animada pelos Coirmãos do Peru, nos reunimos para a primeira conferência do encontro: “As Virtudes Vicentinas e as Bem-Aventuranças”, conduzida pelo P. Humberto Aristizábal, da Província da Colômbia. Logo de início, nos detivemos na leitura de textos bíblicos e da conferência de São Vicente de 22 de agosto de 1659, sobre as virtudes e as máximas evangélicas. Em seguida, partilhamos sentimentos e intuições a partir da leitura. O trabalho seguinte, feito em grupos, levou-nos a refletir sobre as virtudes no pensamento do Santo Fundador e sua relevância para nossa vida atualmente.

 

As partilhas foram muito ricas, especialmente apontando para a importância da vivência das virtudes em nossa vida cotidiana, em nossa realização humana e vocacional e em nossa missão junto dos mais pobres. Virtude a virtude, fomos contemplando a vontade de Deus a nosso respeito, especialmente na ótica da configuração à pessoa de Jesus Cristo, fomos nos motivando para uma vida comunitária mais saudável, acolhedora e humanizadora e nos deixamos ser impulsionados para uma missão cada vez mais criativa e ousada.

 

Na noite deste dia dedicado às virtudes vicentinas, reunimo-nos para cantar as maravilhas de Deus realizadas na vida da Virgem Maria. Em torno de uma fogueira, celebramos a “fogata”, a oração do terço meditado e cantado entre irmãos. Bela experiência espiritual e mariana, que nos uniu especialmente ao povo de Deus e nos aproximou do próprio Jesus, já que, louvando sua Mãe, pedimos a fidelidade ao seguimento como discípulo e a graça da perseverança fiel em todos os momentos de nossas vidas e de nossas províncias!

 

O terceiro dia do encontro foi dedicado à fraternidade e à convivência, em meio a visitas a algumas belezas e especificidades do Equador.

Celebramos, pela manhã, a Eucaristia, conduzidos pelos Coirmãos da Província de Porto Rico, que trabalham na República Dominicana.

  

Em seguida, em vários carros, saímos para nosso dia de passeio. Visitamos, como uma comunidade de irmãos que se querem bem, Otavalo, lugar de roupas e tecidos, onde pudemos contemplar a beleza têxtil deste país andino. Depois, visitamos Ibarra, linda região de lagos, e Imantag, uma das missões-paróquia dos Coirmãos. Nela, fomos recebidos por um grupo de catequistas e crianças que nos brindaram com duas músicas entoadas em Kichua, uma das mais importantes línguas indígenas do Equador.

 

Vale destacar deste dia alguns fatos: primeiro, a bondade das pessoas e sua simplicidade. Com alegria, aceitaram tirar fotos com os “padrecitos” do Brasil e dos vários outros países. Outro fato a ser destacado é a alegria dos Coirmãos e a disposição de todos para o convívio fraterno e alegre. Especialmente, nosso Diácono Vanderlei animou a festa, pela originalidade de seu ministério diaconal e por sua inigualável simpatia, sempre muito requisitado e lembrado por todos. Inclusive, até houve o comentário de que ele não deveria ser ordenado padre, para garantir em todos os encontros de CLAPVI sua amável presença diaconal.

Ao final da noite, fomos ao Santuário da Virgem de Quinche, onde, muito bem recebidos por um Missionário Oblato, ficamos conhecendo a história da Igreja e desta devoção tão importante para o país. Inclusive, nos surpreendemos quando o Padre que nos recebeu nos disse que, por dia, há 7 missas e, aos domingos, 15. Veneramos, piedosamente e em nome de toda a PBCM, a santa imagem da Virgem, deixando-lhe aos pés, moldados no século XVI, nossas orações e preces.

 

No quarto dia de nosso encontro, o dia brasileiro, as atividades começaram com a Celebração Eucarística, animada pela delegação do Brasil: uma experiência bilíngue muito bonita, pela qual, em espanhol e em português, cantamos os louvores de Deus e nos motivamos ao encontro com os irmãos e com Deus, em vista da antecipação do Reino de Deus já para nosso tempo.

Os estudos do dia, dedicado à “Mudança de Estruturas”, foram dirigidos pelo Pe. Agnaldo Aparecido de Paula, que nos apresentou a história das campanhas internacionais da Família Vicentina e as especificidades desta campanha atual, dando especial espaço para a partilha e a revisão de vida pessoal, comunitária e provincial.

 

Merece destaque no dia de hoje a visita que nos fizeram algumas Filhas da Caridade: esteve rapidamente conosco Ir.  Eliana, conselheira geral da Companhia, nascida em Cuba e atualmente responsável pelos países latino-americanos de língua espanhola, a Visitadora e a Assistente do Equador. Presença amiga e solidária, nos incentivaram à fidelidade e à missão, particularmente nos lembrando dos muitos pobres que esperam nossa presença e nosso serviço.

À noite, reunidos como uma única comunidade e preocupados com a constatação de que, segundo o Superior Geral, “a maior província da Congregação é a província dos ausentes”, nos encontramos para partilhar nossas primícias ministeriais e nossas dificuldades. Ademais, todos manifestamos a preocupação e a tristeza pela saída de tantos e tantos Coirmãos em todas as nossas províncias e nos questionamos sobre nossa própria permanência na Comunidade e sobre os desafios que temos enfrentado em todos os níveis da vida e da missão.

 

 

O último dia do encontro foi, de fato, um fechamento com chave de ouro. Conduzidos pelo P. José René Mancilla, Coirmão da Colômbia que trabalha em um seminário diocesano no Equador, tivemos a oportunidade de revisitar o Documento de Aparecida na perspectiva do discipulado e da missão. Sua conferência, “O encontro com Jesus Cristo gera o discipulado; o encontro com os irmãos suscita a missão”, nos levou a refletir e avaliar nossa decisão por Jesus e nossas atitudes como discípulos. Muito bem embasado, nos ajudou a perceber as exigências do encontro com Deus e com os irmãos, encontro este que exige de nós atitudes claras e coerentes com o Evangelho.