CONGREGAÇÃO DA MISSÃO CÚRIA GENERALÍCIA.
Via dei Capasso, 30 00164 Roma – Itália.

31 de maio de 2007

A todos os membros da Família Vicentina.

Queridos irmãos e irmãs

A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês.

De 02 a 04 de fevereiro, reunimo-nos em Roma, os responsáveis pelos vários ramos da Família Vicentina para nosso encontro anual. Compartilhamos as experiências do ano 2006, com suas luzes e sombras, avaliamos as muitas atividades de cooperação em que estamos comprometidos e elaboramos outros projetos de cooperação para o futuro.

Nesta carta queremos, primeiramente, apresentar-lhes o relatório atualizado do que é referente a cada um dos ramos da família. Aborda acontecimentos do ano passado e planos para o corrente ano. Apresentamos tambémo temasugerido para a celebração, em 2007, da festa de São Vicente de Paulo e uma ajuda para a reflexão neste dia.

Segundo o costume, no começo do encontro cada um de nós ressaltou o que houve de mais importante no ano anterior, apontando o que juntos poderíamos fazer melhor. Eis aqui um pouco do que foiabordado:

* A ASSOCIAÇÂO INTERNACIONAL DE CARIDADES(AIC)

Em Manilha, ocorreu o primeiro Encontro de Formação para os países da Ásia e em Guatemala, um seminário sobre Liderança Participativa para os países de América Central.. Foram publicados dois cadernos de Formação: “ Ação Política” e “Mulheres e pobreza” e três cadernos da série de reflexões espirituais “ A caminho com São Vicente.” A Associação passou a fazer parte do Conselho da “Fundação de Paulo”; iniciou atividades em Ucrâniaem parceria com outros ramos da Família Vicentina.

Em março de 2007, houve a Assembléia Internacional com o lema “Mulheres e pobreza nas diversas culturas”. Nela, Ucrânia foi admitida como membro de direito e aceitos como grupos em formação os da Nigéria, da República Democrática do Congo e da Indonésia. Antes da Assembléia propriamente dita, desenvolveu-se um seminário para as Associações da África.

·A CONGREGAÇÂO DA MISSÂO

Monsenhor Franc Rodé foi nomeado cardeal. É o primeiro Vicentino de rito latino a receber essa honra. Cinco projetos vindos
de Madagascar, da Índia do Norte, da Eslovênia, do Peru e dos Estados Unidos (Universidade de Niágara).Ganharam o prêmio Mudanças de Estruturas. Os Prêmios Missão, para projetos voltados a promover nosso espírito missionário, foram concedidos a cinco países: Etiópia, Índia do Norte, Eslováquia, Rio de Janeiro e Saragoça.

Em janeiro de 2007, houve uma oficina para ajudar os coirmãos em dificuldade e em junho haverá no México o “Encontro Internacional de Visitadores”

AS FILHAS DA CARIDADE(FC)

O Encontro de Visitadoras na Casa Mãe, em maio de 2006, teve como tema “ Filhas da Caridade, Servas e Profetas”. Daí brotou o tema da próxima Assembléia Geral de 2009: “Profecia e Esperança já e em todo lugar”. No mês de junho, foi realizada uma sessão de formação vicentina para Irmãs de nove anos de vocação, e, em outubro, uma mais longa, de três meses, para 27 Irmãs da Ásia.  Ocorreram ainda outras importantes sessões de formação e encontros, entre eles o de formação em Moçambique sobre o “ DREAM PROJECT( Projeto Sonho) que está se ativandoagora na Nigéria . Estão também analisando esse projeto a República Democrática do Congo, Camerum, Quênia, Eritréia, Ruanda, Burundi e Madagascar.Novas fundações foram abertas em Magadan ( Sibéria Leste da Rússia) e Tanzânia. Outras Irmãs responderam a situações de emergência ou desastres como oterremoto em Java e os refugiados no Líbano.

Em 2007, iremos preparar a Assembléia Geral. Entre os vários compromissos em marcha acha-se a abertura de um centro de AIDS na Nigéria e de um albergue para imigrantes na Sicília.Realizou-se uma sessão especial para as Irmãs que trabalham na antiga União Soviética e, em abril e maio, na Casa Mães, uma de Formação para as Irmãs da África e de Madagascar. Vai ocorrer em 25 de novembro, em Salvador, Brasil, um acontecimento significativo: a beatificação da mártir Lindalva Justo de Oliveira.

·A SOCIEDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO.(SSVP)

Um consórcio italiano representa a Sociedade, para um melhor contato com a Santa Sé,  600.000 euros foram distribuídos com os países vítimas de catástrofes e para outros projetos de desenvolvimento em diversos países, especialmente da África e da América Latina. Consolida-se a atividade do grupo “Vicentinos para a paz”, sobretudoem Zâmbiae Haitie existemprojetos a desenvolver em 2007 em Cuba, Ucrânia e Zâmbia. A Comissão África continua a preparar um plano deintervenção no decorrer de 2008 e 2009. Em 2006 foram agregadas 448 Conferências e instituíram-se 34 Conselhos.

Antes da jornada da Juventude de 2008, em Sidnei, haverá um encontro da Juventude Vicentina,preparada por membros da Sociedade.

·OS RELIGIOSOS DE SÃO VICENTE DE PAULO (RSV)

A Congregação acentuou a prioridade de apoio às famílias de meios populares, principalmente famílias desagregadas, mães sós e crianças abandonadas. Implantação de pequenos projetos criativos para responder a necessidades não atendidas, em colaboração com organismos, especialmente, a família vicentina. Há um ano, o Superior Geral Padre Yvon Laroche, acompanha a Sociedade São Vicente de Paulo como diretor espiritual. Foi criada uma oficina Internacional de Missões.

O ano de 2007 apresenta-se como um caminho para o Capítulo com desafios muito concretos sobre a Nova Evangelização e a formação dos jovens.

·A JUVENTUDE MARIAL VICENTINA (JMV)

Organizado em colaboração com a CLAPVI, realizou-se, em Caracas, o “Encontro Latino-Americano de Pastoral Juvenil Vicentina” para formação de Assessores. Participaram Filhas da Caridade, Missionários, Assessores Laicos da JMV e, também, membros de outros ramos da família Vicentina. O Secretariado Internacional acolheu três jovens voluntários e uma nova Irmã Delegada que substituíram as anteriores,

Durante 2007 com olema “ Partilhamos a alegria de viver com Jesus”será continuado o aprofundamentona espiritualidade Mariana – Vicentina , em colaboração com outros ramosda família vicentina e se insistirá no objetivo do autofinanciamento.Para dezembro está previsto o “Encontro de Conselhos Nacionais da Europa e do Oriente Médio.”

·A ASSOCIAÇÂO DA MEDALHA MILAGROSA (AMM)

Uma Filha da Caridade foi nomeada Secretária executiva do Conselho Coordenador, facilitando tornar realidade muitas atividades programadas.

Três Boletins foram publicados com o mesmo esquema. Atualizou-se a página Web e completaram-se as catequeses em três línguas, já enviadas a todos os países. Nas comunicações com as AMM Nacionais, busca-se compartilhar as realizações na linha dos compromissos do II Encontro Internacional de 2005.

Para 2007, está prevista a publicação de 04 boletins estimulando a elaboração dos Estatutos nos países que ainda não os tenham. Intensificar a comunicação com as AMM Nacionais e a formação de um grupo para a revisão dos Estatutos Internacionais. Iniciar a preparação para celebrar o Primeiro Centenário da Associação. Seus primeiros Estatutos foram aprovados e ratificados por Sua Santidade Pio X em 08 de julho de 1909

·MISSIONÁRIOS LEIGOS VICENTINOS( MISEVI)

2006 foi marcado pelos desafios da Assembléia Geral e a renovação da equipe de Coordenação. Elaborou-se um anteprojeto de Comunidade Internacional, tal como foi aprovado na assembléia.

Destacamos da Agenda de atividades para 2007, a elaboração de temas para o plano de formação, a criação de uma comissão encarregada de estudar a revisão dos Estatutos internacionais. Estabelecer o lugar de implantação de uma comunidade Missionária Internacional.

·IRMÂS DE CARIDADE DE SANTA JOANA ANTIDE THOURET ( SC)

Uma presença especial no encontro desse ano, foi a Irmã Maria Luísa Colombo, Superiora Geral, das Irmãs de Caridade de Santa Joana Antide Thouret. Ela nos informou o desenvolvimento da sua Congregação.

Atualmente, elas são 2.800 distribuídas em 360 comunidades presentes em 27 países. Na África 107 irmãs, na América 80, na Ásia 83 e na Europa 2.430. Entre as 28 comunidades presentes na África se destaca asignificativa presença na República Centro-Africana e no Sudão ( Darfur). As comunidades acham-se inseridas tanto nas periferias das grandes cidades como nas aldeias rurais. Os serviços desenvolvem-se em grandes estruturas, gerenciadas pela própria Congregação ou outras Entidades, assim como em parceria com as Cáritas paroquiais, com grupos de voluntariado e outras Associações.

Em todas as realidades, a assistência, a proximidade e, sobretudo, a paixão pela promoção do pobre, caracterizam o seumodo de viver que se enraíza no espírito e no estilo vicentino. As últimas implantações foram feitas na Tanzânia, na Etiópia e na Moldávia.

Entre outros assuntos, o encontro desse ano incluiu :

Informação do delegado do Superior Geral:

O Padre Manuel Ginete informou que durante 2006, visitou a Família Vicentina do Egito, Brasil, Nigéria, Filipinas, Tailândia, Camboja, Irlanda, Espanha (Valencia) Ucrânia, Nicarágua. Nos próximos cinco anos está previsto visitar os paises não visitados anteriormente, favorecer o desenvolvimento dos Conselhos nacionais e regionais assim como a formação de assessores.

Família Vicentina na Itália.

Convidamos o grupo de “Coordenação da Família Vicentina na Itália” para um diálogo sobre o papel, o processo e os projetos de animação da família Vicentina na Itália. Apresentaram os regulamentos que regem suas atividades e projetos. Além dos projetos Internacionaiscontra a fome e a malária, suas atividades abarcam as vítimas do tsunami e do furacão.  Recentemente a Família celebrou um Congresso Nacional sobre a Encíclica “Deus Caritas est.”

Campanha contra a malária.

A informação veio por Marco Betemps da SSVP. A campanha continua com a colaboração de várias Universidades italianas. As conclusões apontam para a produção de remédios em pequenos laboratórios da África que os tornarão, provavelmente, mais baratos e mais genéricos. Está havendo contato com algumas empresas da Índia.

Lugares Históricos Vicentinos.

O intercâmbio abordou, sobretudo, a capela de São Vicente de Paulo e o Berceau. Apresentaram diferentes possibilidades para o aspecto formativo comoa de uma peregrinação paradesfrute de todos os membros da Família Vicentina. Foram dadas algumas sugestões: preparar um roteiro vicentino, tornar esses lugares mais acessíveis a grupos internacionais (materialmente e com equipamentos de tradução) e estudar a possibilidade de abrir o CIF à formação de outros ramos da família.

Mais Informações:

Sugeriram que convidemos outros ramos da família Vicentina para nossas Assembléias Gerais e Provinciais, que estimulemos a participação de todos no dia de oração por ocasião da Festa de São Vicente, bem como convidemos os pobres e outras pessoas que pertencem à Família Vicentina, já são bem conhecidas e estão bem firmespara os encontros em nível internacional.

O livro de Padre Maloney “Regra de vida para os leigos da Família Vicentina” está publicado em inglês e em espanhol; estuda-se a possibilidade de traduzi-lo para outras línguas. Este livreto de leitura fácil trata da espiritualidade vicentina.

Já existe uma Enciclopédia Vicentina na FAMVIN em inglês (www.famvin.org/wiki),  e uma já iniciada em espanhol (www.famvin.org/wiki-es)

II-No segundo dia de nosso encontro, escutamos uma colocação da Comissão para a Promoção de Mudanças de Estruturas, cujos membros são Norberto Carcellar CM, Ellen Flynn FC, Joseph Foley CM, Robert Maloney CM, Patrícia Nava AIC, Pedro Opeka CM, e Gene Smith SSVP. A comissão falou sobre a natureza da mudança de estrutura, da espiritualidade que a fundamenta, e das estratégias para levá-la adiante. Seus membros descreveram projetos em Madagascar, Filipinas, Inglaterra, República Dominicana e outros lugares nos quais nossa Família não está apenas conseguindo servir aos pobres em suas necessidades imediatas como também desenvolver estratégias com as quais eles poderão sair da pobreza. Tomando conhecimento de que existem outros projetos como esses já em funcionamento na Família Vicentina, a comissão pediu a seus responsáveis relatá-los.

Muitas estratégias para promover a mudança de estrutura, assinaladas pela comissão nascem do evangelho ou da tradição vicentina. Por exemplo:

·comprometer os próprios pobres, incluindo as mulheres e os jovens com todos os níveis: levantamento das necessidades, planificação, cumprimento , avaliação e revisão

·ter uma visão global . compreendendo uma série de necessidades básicas: a nível individual e social, espiritual e físico, ocupações especiais, cuidado com a saúde, habitação, educação, e desenvolvimento espiritual – buscandoprevenção eum desenvolvimento adequado

·enfatizar particularmente os programas de auto-ajuda e auto-sustentação com atenção especial às causas da pobreza.

Seguiu-se uma viva discussão. Ao terminá-la, os responsáveis de alguns ramos da Família, decidiram eleger a mudança de estrutura como ponto central de atenção, ao menos para os próximos dois anos, a começar no dia 27 de setembro de 2007.

No ano passado , como lembraram, propusemos a frase “o amor é inventivo até o infinito” como lema para a celebração que os ramos vicentinos organizam por ocasião da Solenidade de São Vicente. Em conexão com esse lema, elegemos para este ano, como palavra de ordem uma frase da primeira carta de São João: “o que ouvimos, o quevimos com nossos olhos , o que contemplamos e nossas mãos apalparam , é o que lhes anunciamos.Esta frase ea citação inteira (Jo 1,1-3) põem em destaque quão concreta é a encarnação e quão concreto é o trabalho de caridade que João descreve em sua Carta.” O que existia desde o princípio, oque ouvimos, o que vimos com nossos próprios olhos, o que contemplamos e nossas mãos apalparamacerca da palavra da vida- porque a vida se manifestou , nós a vimos, damos testemunho dela, e lhes anunciamos a vida eternaque estava no Pai e nos foi manifestada — o que vimos e ouvimos, lhes anunciamos,para que também vocês estejam em comunhão conosco. Nós estamos em comunhão com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.

Buscando aproximar-nos bem concretamente dos pobres, refletiremos nesses dois anos e talvez mais, sobre a Mudança de Estruturas, avaliando no término de cada ano o que aconteceu e planejando o próximo. Dentro de algumas semanas lhes enviaremos um Guia de Estudo que contém cinco sessões. Esperamos que seja útil aos membros dos diferentes ramos da FV para enfocar juntos a mudança de estruturas, preparar projetos e realizá-los. Posto que a Mudança de Estruturas oferece muitos aspectos e exigem muitas atividades em parceria, os projetos dar-nos-ão uma boa oportunidade para que os diferentes ramos trabalhem juntos e inclusive cooperem com outros grupos não pertencentes à família.

Neste ano não incluímos um plano detalhado, como fizemos nos anteriores, para a celebração litúrgica preparando 27 de setembro. Pensamos que é melhor que os diferentes ramos, de cada localidade, o preparem juntos segundo sua própria criatividade. Preparamos apenas uma folha com duas páginas, sugerindo algumas leituras e algumas citações que podem ser úteis. Na folha encontrarão a oração da Mudança de Estruturas.

O conceito de mudança de estruturas é atual. São Vicente não o conheceu, embora tenha expressado muitas idéias quepodem referir-se a ela.Quando reuniu o primeiro grupo de mulheres na conferência de Châtillon-les-Dombes, em novembro de 1617, escreveu no regulamento que redigiu para elas (SC XIII,423) que os pobres,algumas vezes, sofrem mais por falta de organização que pela ausência de pessoas caritativas. Continuamente, estimulava os membros de sua família a amar os pobres “espiritual e corporalmente”, “afetiva e efetivamente”. Animava seus seguidores a analisarem os diversos aspectos da vida dos pobres para ver quais eram as suas necessidades mais importantes: alimentação, cuidado da saúde, educação, trabalho, atenção espiritual.Hoje somos conscientes de que os pobres vivem em um sistema social no qual faltam muitas dessas coisas, um sistema que se conseguirmos mudar, ajudaremos as pessoas a saírem da pobreza.

Ao celebrar a solenidade de São Vicente, pedimos ao Senhor que nos ajude a ser criativos, nos próximos anos, no ajudar a provocar a mudança de estruturas. Dando graças a Deus por capacitar nossa família para trabalhar a seu serviço e a serviço dos Pobres, permanecemosirmãos e irmãs em São Vicente

Marina CostaYvon Laroch
(seguem-se outras assinaturas)

Leituras, citações e oração

Celebração da família Vicentina – 27 de setembro de 2007.

Ajudas para a Reflexão sobre a Mudança de Estruturas.

Sugestão de leituras :

IS 52.7-10
1Co 1,:26-31 ; 2, 1-2
Mt. 5, 1-12a
Mt. 9,35-38
Mt .25, 31-46.

Citações importantes:

São Vicente

*Virai a medalha e vereis com as luzes da fé que são eles que representam o Filho de Deus que quis ser pobre; ele quase não tinha aspecto de homem em sua paixão. Passou por louco entre os pagãos, por pedra de escândalo entre os judeus; e por isso pôde definir-se como o evangelista dos pobres. Evangelizare pauperibus misit me (SVP XI, 725) Nós também devemos ter o mesmo espírito e imitar as ações de Cristo, isto é, ter cuidado com os pobres, consolá-los, ajudá-los, assumir sua causa.

*Nosso amor deve ser afetivo e efetivo (SVP es IX 534; IX 540; XI 733 . São Vicente disse às Filhas da caridade“ O amor de uma Filha da caridade não é apenas afetivo, mas também efetivo, porque está a serviço do pobre(SV IX, 540 )

*Temos que servir os pobres corporal e espiritualmente.” (SVP .IX, XI 586; XI 393) São Vicente utiliza essa frase falando aos
grupos que fundara: as Filhas da Caridade, a Congregação da Missão. Disse ás Filhas da Caridade que deveriam não apenas atender as necessidades materiais, mas tambémpartilhar sua fé, com seu testemunho e suas palavras. Adverte aos membros da Congregação da Missão que não deveriam pensar exclusivamente em termos espirituais , mas era preciso também atender os enfermos, às crianças abandonadas, aos loucos e ainda aos mais abandonados.

*Servimos com palavras e obras”. (SVP XI 393). São Vicente estava profundamente convencido que o dizer e fazer devem completar-se mutuamente. Sua regra para a evangelização efetiva é “ Primeiro fazer, depois ensinar”. Ele vê a pregação, o ensino e a promoção humana como complementos e integrantes do próprio processo de evangelização. Hoje, a unidade entre evangelização e promoção humana, tão importante no espírito de São Vicente, é um dos principais destaques na doutrina social da Igreja. ( Sínodo dos Bispos de 1971) A justiça no mundo,…a ação a favor da justiça e a participação na transformação do mundo são elementos que fazem parte da pregação do evangelho.

·Santa Luísa de Marillac.

“O pobre é o primeiro na Igreja. Ele é o príncipe e o mestre, sendo uma encarnação de Cristo pobre. Por isso, devemos servi-lo com respeito, sem levar em consideração seu caráter e seus defeitos. E devemos amá-los”. ( Jean Calvet, Santa Luísa de Marillac por ela mesma. Paris Aubier 1958 p.75.)

·Beato Frederico Ozanam.

“A caridade não basta. Ela trata as feridas, mas não os golpes que as ocasionam. A caridade é o samaritano que derrama azeite sobre as feridas do caminhante que foi atacado. O papel da justiça é prevenir os ataques” (Carta de 30 de abril de 1848)

·João Paulo II.

Mais que nunca, com audácia, humildade e competência, buscai as causas da pobreza e estimulai as soluções a curto e longo prazo, soluções concretas, flexíveis, eficazes. Se agirdes assim cooperareis para a credibilidade do Evangelho e da Igreja. (Discurso aos membros da AssembléiaGeral da Congregação da Missão, 1986)

*Também precisam ser esclarecidas as razões estruturais que nutrem ou causam as diferentes formas de pobreza no mundo…  Para que possam aplicar-lhes os remédios adequados. (Homilia na cidade de Nova York, outubro de 1979).

·Albert Einstein

“Nenhum problema pode ser resolvido pela mesma consciência que o criou. Temos que aprender a ver novamente o mundo” ( citação atribuída a AE)

·Peter Senge

A Mudança de Estrutura é uma disciplina para ver totalidades. É um marco para ver mais as inter-relações que as coisas; para descobrir os aspectos da mudança mais que as fotografias estáticas.( The Fifth Discipline 1992).

Oração para a Mudança de Estruturas:

Nós te louvamos e te damos graças, ó Deus, Criador do universo.

Tu fizeste todas as coisas e nos deste a terra para cultivar.

Concede-nos sempre usarmos as coisas com gratidão

e as partilhemos generosamente com os necessitados .

Dá-nos criatividade para ajudar os pobres a enfrentar suas necessidades humanas básicas.

Abre nossas mentes e nossos corações para que possamos estar a seu lado e ajudá-los a mudar todas as estruturas que os mantém pobres.

Faze-nos capazes de ser seus irmãos e irmãs, amigos que caminham com eles,

em suas lutas pelos direitos humanos fundamentais.

Nos te pedimos por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém.

Traduzido pela Ir. Neil Pimentel, FDC.