Congregazione  Della Missione

Curia Generalizia

 

Via dei Capasso,  30
Tel (39) 06 661 30 61

00164  Roma – Italia
Fax (39) 06 666 38 31

e-mail:    cmcuria@cmglobal.org

21 de junho de 2010

 

Circular do Tempo Forte (7-11 de junho de 2010)

Caríssimos Coirmãos da Congregação da Missão,

Que a Graça e a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo encham seus corações agora e sempre!

Iniciamos a reunião do Tempo Forte deste mês de junho com uma sessão de formação permanente, a cargo do Doutor Giancarlo Gallici, da Sociedade de São Vicente de Paulo, que falou do trabalho da Sociedade na Itália e no mundo. A palestra foi seguida de um intercâmbio dialogado muito vivo com o conferencista.

  1. Os primeiros assuntos tratados no Conselho foram os pormenores ainda pendentes na preparação da Assembleia Geral. Pouco a pouco, tudo vai se encaixando em seu lugar.
  1. A Comissão executiva da Celebração do Jubileu pelos 350 anos informou-nos de seus trabalhos. Em seguida recebemos as informações da Comissão de Projetos em relação ao que se realizou em Haiti.
  1. Dedicamos uma sessão especial aos Coirmãos que estão em situações difíceis. O Secretário Geral nos deu as estatísticas dos Coirmãos ausentes da Congregação, que continuam sendo um  problema significativo.
  1. Falamos sobre possíveis candidatos para os distintos serviços na Cúria: Postulador e Procurador Geral ante a Santa Sé, Secretário Geral, Diretor do escritório de Comunicação, e um novo Irmão. Pusemo-nos em contato com o Irmão José Iván Hueichan Sánchez e recebemos uma resposta positiva. Para os outros postos, se providenciará na primeira reunião de Tempo Forte da próxima administração.
  1. Recebemos uma carta da Irmã Evelyne Franc, concretizando o contrato das três Irmãs que trabalham na Cúria. Discutimos a possibilidade de substituí-las por Coirmãos da Congregação da Missão, quando for difícil conservar as Irmãs.
  1. Recebemos um relatório da Comissão para a Promoção de Mudanças de Sistemas de Estruturas: apresentou-nos algumas recomendações para esclarecer os critérios do Prêmio da Mudança de Estruturas e do Prêmio das Missões. Recomendou-se também à próxima administração que designe um Conselheiro Geral  para acompanhar os distintos prêmios e seu uso nas diversas Províncias.
  1. O Pe. Miles Heinen, Diretor da Central Vicentina de Solidariedade esteve conosco para deixar seu relatório e responder às perguntas que pudéssemos fazer-lhe.
  1. Entretivemo-nos com vários assuntos econômicos com o Ecônomo Geral:
  • Estudamos e escolhemos os ganhadores do Prêmio 2010 de Missões. O dinheiro será entregue no dia da festa de São Justino de Jacobis. Os projetos ganhadores vieram de Curitiba, de El Alto (Bolívia), da Província da América Central, de Moçambique e da Etiópia. Agradecemos aos outros participantes  por seu esforço e por seu trabalho bem feito.
  • Distribuímos o dinheiro para as Províncias (MDF) que recebem ajudas para realizarem seu apostolado, para alguns Bispos da Congregação, as missões internacionais e as Conferências de Visitadores ou  Províncias.
  • O Pe. Gouldrick nos informou sobre as diversas doações que se receberam para os microcréditos em Haiti e para a reconstrução desse país.
  1. O Pe. Ginete nos apresentou um relatório sobre a Família Vicentina. O Conselho avaliou os serviços prestados pelo Delegado durante estes cinco anos.
  2. Estudamos uma carta do Presidente de DePaul Internacional, um novo ramo da Família Vicentina que está estabelecido internacionalmente e se dedica sobretudo a ajudar “moradores de rua” e os “alcoólicos”. O ponto forte de seu relatório foi o pedido feito à Congregação da Missão e a outros ramos da Família Vicentina para que ajudem na formação permanente. Como Conselho Geral, concordamos em que é necessário colaborar em iniciativas comuns para aprofundar a formação e a espiritualidade vicentina.
  3. Recebemos um relatório do Pe. Joe Foley, Representante Vicentino nas Nações Unidas (ONG):
  • Referiu-se especificamente às indústrias de mineração. No ano passado, formou-se um grupo para estudar oassunto das minerações. Muitas comunidades em que a Congregação está trabalhando conhecem muito bem o impacto das minerações: água contaminada, meio ambiente destruído; comunidades devastadas. O grupo de delegados centrou-se na Declaração de Povoações Indígenas que exigem o direito de escolherem livremente, depois de terem sido informadas mas antes de se empreender qualquer atividade de mineração. Decidiram reunir-se e analisar alguns casos concretos experimentados por seus membros.
  • O Pe. Foley escreveu sobre a mudança climática e a pobreza, mostrando a relação entre ambas e servindo-se da Índia como exemplo. Examinou a relação entre mudança climática e vontade política por parte do governo frente à mudança climática. Um grupo continuará estudando a conexão entre pobreza e mudança climática com o objetivo de criar uma massa crítica que favoreça um respaldo significativo. Usará suas experiências para tomar uma posição sobre pobreza e mudança climática.
  • Outro assunto foi o do Comitê de Emigração. Um grupo que trabalha no Fórum Global de Emigração e Desenvolvimento se reunirá no México em novembro deste ano. O tema será “Companheirismo para Emigração e Desenvolvimento: Prosperidade e responsabilidade compartilhadas”.
  • Outro tema foi a revisão das Metas do Milênio nos últimos dez anos. É interessante que nosso projeto de Haiti, através de Zafen se alinha com as metas do Milênio, que se supõe que serão alcançadas antes de 2015.
  • Está melhorando a “janela” da rede eletrônica da Congregação e das Filhas da Caridade. Pode ser acessada emwww.cmdcngo.org
  • Com relação às Organizações Católicas Internacionais, atualmente são uma organização total da sociedade civil para as ONGs e das ONGs. Possuir um espaço católico para ONGs na ONU é muito importante e valioso.

O Conselho Geral estudou mais uma vez a importância de ter um representante ante as Nações Unidas. Eu pessoalmente creio que, tendo em conta os temas que ali se tratam e que atingem de algum modo os Pobres, se um Vicentino não conhece esses temas, seu testemunho é incompleto. Agradecemos ao Pe. Foley por seu comprometimento no trabalho e seu empenho por nos animar a envolver-nos ao máximo.

  1. Os Irmãos que participaram no Programa de dois meses do Centro Internacional de Formação (CIF) em Paris nos enviaram uma carta. O Irmão Fahed, da Cúria, nos apresentou uma avaliação sobre o curso e compartilhou conosco o Documento Final que se distribuirá aos  Delegados da Assembleia Geral.
  1. Examinamos o relatório dos Visitadores da Espanha e de seus Conselhos sobre o tema da Reconfiguração de Províncias. Continuamos animando todas as Províncias a buscar meios de  colaboração para serem mais eficientes no serviço dos Pobres.
  1. Com relação às missões internacionais:
  • Recebemos várias comunicações de nossa missão de El Alto (Bolívia) onde temos quatro Coirmãos trabalhando em duas paróquias-missionárias. O grupo de Missionários estudará o esboço de um novo contrato com a Diocese, que será apresentado à nova administração na próxima reunião de Tempo Forte.
  • Com relação a Papua-Nova Guiné, recebemos um relatório do Pe. Włodzimiers Małota, um dos Missionários, polonês. Temos dois Coirmãos esperando vistos para ir para Papua-Nova Guiné e temos também um leigo de MISEVI para reforçar os distintos serviços da Missão, que trabalha no seminário e numa paróquia.
  • Recebemos um relatório das Ilhas Salomão. Formam a comunidade 5 Coirmãos ajudados esporadicamente por outros dois. Quando for possível, outro Missionário de tempo completo se unirá a eles. Está esperando seu visto, enquanto estuda inglês.
  • Os Missionários mandados para as Missões internacionais são o Pe. José Vásquez, da Província da Colômbia, atualmente Diretor das Filhas da Caridade na Bolívia, e o Pe. David Paniagua, da Província do Chile, antigo Diretor das Filhas da Caridade na Bolívia. Os dois estão começando uma nova missão na periferia de Cochabamba, Bolívia.

O Pe. Raúl Castro, da Província da Argentina, foi destinado à missão das Ilhas Salomão. Antes de incorporar-se, estudará inglês na Austrália. O Pe. Emmanuel Lapaz, da Província das Filipinas, e um Coirmão da Província do Oriente, Georges Maylaa, estão esperando os vistos para ir para a missão de Papua-Nova Guiné. O Pe. Georges também estudará inglês na Austrália.

  • Recebemos um pedido de um dos Bispos de Angola, com quem falei pessoalmente  em minha visita àquele país. Deixamos este pedido como uma recomendação prioritária para a nova administração. É uma missão que ajudará três comunidades de Filhas da Caridade, já que a Diocese tem poucos sacerdotes.

Esta é a última circular de Tempo Forte desta administração. Esperamos ter servido o melhor que pudemos nestas reuniões que nos permitem tratar temas que aprofundam nossa presença no mundo como membros da Congregação da Missão que desejam permanecer como fiéis seguidores de Jesus Cristo Evangelizador dos Pobres.

Seu irmão em São Vicente,

G. Gregory Gay, C. M.,

Superior Geral