Notícia sobre o CIF: breve olhar sobre as duas primeiras semanas

A sessão do CIF para os irmãos da CM tem sido um tempo repleto da graça de Deus. Contamos com um grupo rico e diverso. Estão reunidos aqui 29 irmãos, dos cinco continentes. Se nos primeiros dias sofríamos com a maldição da “torre de Babel” [falávamos muitas línguas sem nos compreender], depois de duas semanas, já estamos próximos da alegria de nosso próprio pentecostes [começamos a nos compreender mesmo sem falar as mesmas línguas].

Já tivemos quatro assessorias, todas muito ricas. Gostaria de destacar as falas dos Padres Mezzadri [sobre São Vicente de Paulo] e Renouard [sobre a Vocação e a identidade do missionário vicentino], ambos nos ajudaram a conhecer melhor o nosso carisma e a luz da espiritualidade vicentina e de nossa condição laical. Infelizmente, o padre Maloney não pode estar conosco, devido aos transtornos causados nos aeroportos europeus pelo vulcão Eyjafjallajokull na Islândia, mas enviou sua pesquisa sobre “Os irmãos no tempo de São Vicente”, que nos ajudou a conhecer melhor a nossa história enquanto irmãos na CM.

Na semana passada fomos à região de Amiens, onde conhecemos vários lugares marcantes da vida de são Vicente, dentre eles as terras da família de Gondi, em Folleville e Ganes. Por essa semana, vamos a Chatillon, e em maio, ao sudoeste da França para conhecer o “Berçeau” e outros lugares de notória importância para a família vicentina.

No mais, estamos já adaptados ao clima, ao horário, à comida [o mais difícil] e à cidade de Paris. Nos horários de folga, que ocorrem normalmente aos domingos, aproveitamos para fazer passeios pela cidade. De minha parte, já visitei a metade do Louvre [que parece infinito], o museu Rodin, a casa de Salvador Dalí, a Biblioteca Nacional da França e muitos daqueles pontos turísticos mais comuns e famosos. Estar aqui tem significado, para mim, um crescimento não apenas vicentino mas também cultural.

 Bom, ainda faltam cerca de 5 semanas de estudos, oração e troca de experiências, aos poucos mandaremos mais notícias e ao final faremos uma síntese mais orgânica de nossa experiência aqui.

Abraço a todos.
Ir. Adriano Ferreira, C. M.