VOLTAR

Memória de São Francisco Régis Clet

Francisco Régis Clet nasceu em Grenoble a 19 de agosto de 1748 e foi ordenado presbítero em Lyon a 27 de março de 1773. Nomeado para o Seminário Maior de Annecy, aí ensinou Teologia durante quinze anos. Em maio de 1788, foi colocado como Diretor do Seminário Interno da Casa Mãe, em Paris. Após os estragos da Revolução Francesa, pediu para partir para as missões estrangeiras.

Chegou a Macau no dia 15 de outubro de 1791 e, durante trinta anos, dedicou-se totalmente à missão da China. Em terras pobres e sofridas, as agruras da seca, da fome e da pobreza assolavam a todos, inclusive os missionários, que, impelidos pela caridade, além de promover inúmeras campanhas em favor do povo, muitas vezes tiravam de seu próprio sustento para auxiliar os indigentes que vinham até eles, clamando por socorro. Neste apostolado, Padre Clet teve a alegria de ver a Igreja crescer na China.

Perseguido, foi denunciado e preso, na altura de seus 70 anos. Condenado, morreu estrangulado, perto de Outchangfou, a 18 de fevereiro de 1820. Foi beatificado no dia 17 de maio de 1900 e canonizado a 01 de outubro de 2000.

[su_tabs active="1"] [su_tab title="Invitatório"]
Antífona: Ao Senhor, rei dos mártires, vinde, adoremos!
 
Salmo 94/95
Convite ao louvor de Deus e admoestação
 
- Vinde, exultemos de alegria no Senhor
aclamemos o rochedo que nos salva!
- Ao seu encontro caminhemos com louvores,
e com cantos de alegria o celebremos!
 
- Na verdade, o Senhor é o grande Deus,
o grande Rei, muito maior que os deuses todos.
- Tem nas mãos as profundezas dos abismos,
e as alturas das montanhas lhe pertencem;
- o mar é dele, pois foi ele quem o fez,
e a terra firme suas mãos a modelaram.
 
- Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,
e ajoelhemo-nos ante o Deus que nos criou!
= Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, †
e nós somos o seu povo e seu rebanho,
as ovelhas que conduz com sua mão.
 
= Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: †
“Não fecheis os corações como em Meriba,
como em Massa, no deserto, aquele dia,
- em que outrora vossos pais me provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras”.
 
= Quarenta anos desgostou-me aquela raça †
e eu disse: “Eis um povo transviado,
seu coração não conheceu os meus caminhos!”
- E por isso lhes jurei na minha ira:
“Não entrarão no meu repouso prometido!”
[/su_tab] [su_tab title="Ofício das Leituras"]
Hino
 
Santo mártir, sê propício
no teu dia de esplendor,
em que cinges a coroa,
o troféu de vencedor.
 
Este dia sobre as trevas
deste mundo te elevou,
e, juiz e algoz vencendo,
todo a Cristo se entregou.
 
Entre os anjos ora brilhas,
testemunha inquebrantável,
com as vestes que lavaste
no teu sangue venerável.
 
Junto a Cristo, sê agora
poderoso intercessor;
ouça ele as nossas preces
e perdoe ao pecador.
 
Desce a nós por um momento,
de Jesus traze o perdão,
e os que gemem sob o fardo
grande alívio sentirão.
 
A Deus Pai, ao Filho único
e ao Espírito, a vitória.
Deus te orna com coroa
na mansão da sua glória.
Salmodia
 
Ant. 1.Vós sereis odiados por meu nome; quem for fiel até o fim há de ser salvo.
 
Salmo 2
- Por que os povos agitados se revoltam?
Por que tramam as nações projetos vãos?
= Por que os reis de toda a terra se reúnem, †
e conspiram os governos todos juntos
contra o Deus onipotente e o seu Ungido?
 
- “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles,
“e lançar longe de nós o seu domínio!”
- Ri-se deles o que mora lá nos céus;
zomba deles o Senhor onipotente.
- Ele, então, em sua ira os ameaça,
e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz:
 
- “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei,
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!”
= O decreto do Senhor promulgarei, †
foi assim que me falou o Senhor Deus:
“Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!
 
= Podes pedir-me, e em resposta eu te darei †
por tua herança os povos todos e as nações,
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
- Com cetro férreo haverás de dominá-los,
e quebrá-los como um vaso de argila!”
 
- E agora, poderosos, entendei;
soberanos, aprendei esta lição:
- Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória
e prestai-lhe homenagem com respeito!
 
- Se o irritas, perecereis pelo caminho,
pois depressa se acende a sua ira!
- Felizes hão de ser todos aqueles
que põem sua esperança no Senhor!
 
Ant.Vós sereis odiados por meu nome; quem for fiel até o fim há de ser salvo.
 
Ant. 2. Os sofrimentos desta vida aqui na erra não se comparam com a glória que teremos.
 
Salmo 10/11
= No Senhor encontro abrigo; †
como, então, podeis dizer-me:
“Voa aos montes, passarinho!
 
- Eis os ímpios de arcos tensos,
ponde as flechas sobre as cordas,
- e alvejando em meio à noite
os de reto coração!
 
= Quando os próprios fundamentos †
do universo se abalaram,
o que pode ainda um justo?”
 
- Deus está no templo santo,
e no céu tem o seu trono;
- volta os olhos para o mundo,
seu olhar penetra os homens.
 
- Examina o justo e o ímpio,
e detesta o que ama o mal.
= Sobre os maus fará chover †
fogo, enxofre e vento ardente,
como parte de seu cálice.
 
- Porque justo é nosso Deus,
o Senhor ama a justiça.
- Quem tem reto coração
há de ver a sua face.
 
Ant. Os sofrimentos desta vida aqui na erra não se comparam com a glória que teremos.
 
Ant. 3. Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol, e aceitou seu sacrifício.
 
Salmo 16/17
- Ó Senhor, ouvi a minha justa causa,
escutai-me e atendei o meu clamor!
- Inclinai o vosso ouvido à minha prece,
pois não existe falsidade nos meus lábios!
- De vossa face é que me venha o julgamento,
pois vossos olhos sabem ver o que é justo.
 
= Provai meu coração durante a noite, †
visitai-o, examinai-o pelo fogo,
mas em mim não achareis iniqüidade.
- Não cometi nenhum pecado por palavras,
como é costume acontecer em meio aos homens.
 
- Seguindo as palavras que dissestes,
andei sempre nos caminhos da Aliança.
- Os meus passos eu firmei na vossa estrada,
e por isso os meus pés não vacilaram.
 
- Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis,
inclinai o vosso ouvido e escutai-me!
= Mostrai-me vosso amor maravilhoso, †
vós que salvais e libertais do inimigo
quem procura a proteção junto de vós.
 
- Protegei-me qual dos olhos a pupila
e guardai-me, à proteção de vossas asas,
- longe dos ímpios violentos que me oprimem,
dos inimigos furiosos que me cercam.
 
- A abundância lhes fechou o coração,
em sua boca há só palavras orgulhosas.
- Os seus passos me perseguem, já me cercam,
voltam seus olhos contra mim: vão derrubar-me,
- como um leão impaciente pela presa,
um leãozinho espreitando de emboscada.
 
- Levantai-vos, ó Senhor, contra o malvado,
com vossa espada abatei-o e libertai-me!
- Com vosso braço defendei-me desses homens,
que já encontram nesta vida a recompensa.
 
= Saciais com vossos bens o ventre deles, †
e seus filhos também hão de saciar-se
e ainda as sobras deixarão aos descendentes.
- Mas eu verei, justificado, a vossa face
e ao despertar me saciará vossa presença.
 
Ant. Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol, e aceitou seu sacrifício.
 
V/. Tribulação e sofrimento me assaltaram.
R/. Minhas delícias são os vossos mandamentos.
 
Primeira Leitura (2Cor 4,7–5,8)
Nas tribulações manifesta-se a força de Cristo.
 
            Irmãos, trazemos este tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. Somos afligidos por todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte, por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós.
            Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus. Por isso, não desanimamos. Mesmo se o nosso homem exterior se vai arruinando, o nosso homem interior, pelo contrário, vai-se renovando, dia a dia. Com efeito, o volume insignificante de uma tribulação momentânea acarreta para nós uma glória eterna e incomensurável. E isso acontece, porque voltamos os nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas visíveis. Pois o que é visível é passageiro, mas o que é invisível é eterno.
            De fato, sabemos que, se a tenda em que moramos neste mundo for destruída, Deus nos dá uma outra moradia no céu que não é obra de mãos humanas, mas que é eterna. Aliás, é por isso que nós gememos, suspirando por ser revestidos com a nossa habitação celeste; revestidos, digo, se, naturalmente, formos encontrados ainda vestidos e não despidos. Sim, nós que moramos na tenda do corpo estamos oprimidos e gememos, porque, na verdade, não queremos ser despojados, mas queremos ser revestidos, de modo que o que é mortal, em nós, seja absorvido pela vida. E aquele que nos fez para esse fim é Deus, que nos deu o Espírito como penhor.
            Estamos sempre cheios de confiança e bem lembrados de que, enquanto moramos no corpo, somos peregrinos longe do Senhor; pois caminhamos na fé e não na visão clara. Mas estamos cheios de confiança e preferimos deixar a moradia de nosso corpo, para ir morar junto do Senhor.
 
Responsório (Mt 5,11.12a.10)
R/. Felizes quando a vós insultarem, perseguirem e, calúnias proferindo, disserem todo mal contra vós por minha causa. * Alegrai-vos e exultai, pois a vossa recompensa no céu é muito grande. V/. Felizes os que são perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o Reino dos céus há de ser deles. Alegrai-vos.
 
Segunda Leitura
Trecho de uma conferência de São Francisco Régis Clet aos Coirmãos da China que estavam sob sua direção.
 
“Um laço triplo dificilmente arrebenta” (Ecl 4, 12). Estas palavras do Espírito Santo nos mostram, num sentido figurado, que a harmonia e a união dos espíritos são os meios mais seguros para levar a bom termo todos os empreendimentos. A esta máxima respondem nossas próprias Regras (cap. XII § 7): “Todos e cada um em particular esforçar-se-ão, tanto quanto possível, em concordar sempre com o que se refere à doutrina, nas pregações, nos escritos, de sorte que, segundo a recomendação do Apóstolo, tenhamos todos uma mesma maneira de pensar, de sentir e de falar”. Se esta união de espírito é necessária em toda espécie de trabalho, com maior razão o é nas obras sobrenaturais que têm por finalidade a salvação das almas, cuja direção é chamada por São Gregório “a arte das artes”. Para se conseguir este acordo, sem o qual nossas ovelhas estariam divididas, seguindo cada qual sua inclinação natural, apegando-se mais a um que a outro sacerdote, como na primitiva Igreja, dizendo: “Eu sou de Paulo, eu de Apolo, eu de Cefas” (1Cor 1, 12), pareceu-me oportuno, enquanto estou ainda vivo e antes que a morte, que se aproxima a grandes passos, me retire deste mundo para fazer com que eu compareça diante do temível Juiz, pareceu-me oportuno dar a meus coirmãos, cujo cuidado me foi confiado, apesar de minha indignidade e resistência, alguns avisos, a fim de que estejamos todos de acordo e unânimes no que se refere ao governo das nossas ovelhas, para que assim elas formem “um só rebanho”, com “um só pastor” (Jo 10, 15), que é Jesus Cristo.
Todavia, todas estas instruções e as que ainda poderia acrescentar seriam de pouca utilidade e mesmo para nada serviriam, se não nos apresentássemos às nossas ovelhas “como verdadeiros ministros de Deus e dignos dispensadores dos seus mistérios” (1Cor 4, 1), de tal maneira que cada um de nós possa dizer como São Paulo: “Sede meus imitadores, como eu o sou de Jesus Cristo” (1Cor 4, 15). Lembremo-nos destas palavras: “Aquele que é mau para si mesmo, para quem será bom?” (Eclo 14, 5). Guardemo-nos, sob o pretexto de um zelo desordenado, de deixar absorver todo nosso tempo pelas funções do ministério em favor do próximo. Sigamos as pegadas dos Apóstolos que diziam: “Nós atenderemos sem cessar à oração e ao ministério da palavra” (At 6, 4). Apliquemo-nos à piedade, a qual, como diz o Apóstolo, “para tudo é útil, porque tem a promessa da vida presente e da futura” (1Tm 4, 8). O meio para entretê-la é a fidelidade aos exercícios espirituais que estão em uso na nossa Congregação, tais como a oração mental, o exame particular, a leitura do Novo Testamento, a de algum livro de espiritualidade e, todos os anos, o retiro. Estes são efetivamente outros tantos tesouros nos quais haurimos tudo o que pode ser útil à salvação das almas. Não sejamos (a comparação é de São Bernardo) como canais que deixam escorrer toda a água que recebem, mas sim como fontes que transbordam. Sejamos, enfim, “exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, na caridade, na fé, na castidade” (1Tm 4, 12). Apascentemos “o rebanho que Deus nos confiou, mostrando-lhe na nossa alma o modelo a imitar, e, quando aparecer o Supremo Pastor, receberemos a coroa imperecível de glória” (1Pd 5, 4).
 
Responsório (2Tm 4,7-8; Fl 3,8-10)
R/. Combati o bom combate, terminei a minha carreira e guardei a fé. * Já não me resta senão receber a coroa da justiça. V/. Na verdade, em tudo isso só vejo dano, comparado com este bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, participando dos seus sofrimentos e conformando-me à sua morte. * Já não me resta.
 
Oração
Enviastes, Senhor, São Francisco Régis Clet para evangelizar os pagãos e coroastes pelo martírio seu zelo apostólico. Pelo poder do Espírito Santo, fortalecei todos os cristãos na fé até o sacrifício de sua vida pela extensão do vosso Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="Laudes"]
Hino
 
Ó Mártir de Deus, que seguindo
o Filho divino, com amor,
vencestes o poder inimigo
e gozas no céu, vencedor:
 
Na graça da tua oração,
das culpas apaga o sinal,
afasta o desgosto da vida,
afasta o contágio do mal.
 
Desfeitos os laços do corpo,
triunfas com Cristo nos céus:
dos laços do mundo nos livra
por causa do Filho de Deus.
 
Louvor a Deus Pai com o Filho,
e ao Sopro de vida também.
Os Três, com coroa de glória,
no céu te cingiram. Amém.
 
Antífonas
Ant. 1. Vosso amor vale mais do que a vida, e por isso meus lábios vos louvam.
 
Salmo 62/63,2-9
Sede de Deus
- Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!
Desde a aurora ansioso vos busco!
= A minh’alma tem sede de vós, †
minha carne também vos deseja,
como a terra sedenta e sem água!
 
- Venho, assim, contemplar-vos no templo,
para ver vossa glória e poder.
- Vosso amor vale mais do que a vida:
e por isso meus lábios vos louvam.
 
- Quero, pois, vos louvar pela vida,
e elevar para vós minhas mãos!
- A minh’alma será saciada,
como em grande banquete de festa;
- cantará a alegria em meus lábios,
ao cantar para vós meu louvor!
 
- Penso em vós no meu leito, de noite,
nas vigílias suspiro por vós!
Para mim fostes sempre um socorro;
de vossas asas à sombra eu exulto!
- Minha alma se agarra em vós;
com poder vossa mão me sustenta.
 
Ant. Vosso amor vale mais do que a vida, e por isso meus lábios vos louvam.
 
Ant. 2. Vós, mártires de Deus, bendizei-o para sempre!
 
Cântico – Dn 3,57-88.56
Louvor das criaturas ao Senhor
- Obras do Senhor, bendizei o Senhor,
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- Céus do Senhor, bendizei o Senhor!
Anjos do Senhor, bendizei o Senhor!
 
(Refrão: Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
Ou A Ele glória e louvor eternamente!)
 
- Águas do alto céu, bendizei o Senhor!
Potências do Senhor, bendizei o Senhor!
- Lua e sol, bendizei o Senhor!
Astros e estrelas, bendizei o Senhor!
 
- Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!
Brisas e ventos, bendizei o Senhor!
- Fogo e calor, bendizei o Senhor!
Frio e ardor, bendizei o Senhor!
 
- Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!
Geada e frio, bendizei o Senhor!
- Gelos e neves, bendizei o Senhor!
Noites e dias, bendizei o Senhor!
 
- Luzes e trevas, bendizei o Senhor!
Raios e nuvens, bendizei o Senhor!
- Ilhas e terra, bendizei o Senhor!
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
 
- Montes e colinas, bendizei o Senhor!
Plantas da terra, bendizei o Senhor!
- Mares e rios, bendizei o Senhor!
Fontes e nascentes, bendizei o Senhor!
 
- Baleias e peixes, bendizei o Senhor!
Pássaros do céu, bendizei o Senhor!
- Feras e rebanhos, bendizei o Senhor!
Filhos dos homens, bendizei o Senhor!
 
- Filhos de Israel, bendizei o Senhor!
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor!
Servos do Senhor, bendizei o Senhor!
 
- Almas dos justos, bendizei o Senhor!
Santos e humildes, bendizei o Senhor!
- Jovens Misael, Ananias e Azarias,
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
 
- Ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo
louvemos e exaltemos pelos séculos sem fim!
- Bendito sois, Senhor, no firmamento dos céus!
Sois de digno de louvor e de glória eternamente!
 
No fim deste cântico não se diz Glória ao Pai...
 
Ant. Vós, mártires de Deus, bendizei-o para sempre!
 
Ant. 3. Eu farei do vencedor uma coluna no meu templo.

Salmo 149
A alegria e o louvor dos santos
 
- Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
e o seu louvor na assembléia dos fiéis!
- Alegre-se Israel em quem o fez,
e Sião se rejubile no seu Rei!
- Com danças glorifiquem o seu nome,
toquem harpa e tambor em sua honra!
 
- Porque, de fato, o Senhor ama seu povo
e coroa com vitória dos seus humildes.
- Exultem os fiéis por sua glória,
e cantando se levantem de seus leitos,
- com louvores do Senhor em sua boca
e espadas de dois gumes em sua mão,
 
- para exercer sua vingança entre as nações
e infligir o seu castigo entre os povos,
- colocando nas algemas os seus reis,
e seus nobres entre ferros e correntes,
- para aplicar-lhes a sentença já escrita:
Eis a glória para todos os seus santos.
 
Ant. Eu farei do vencedor uma coluna no meu templo.
 
Leitura breve (2Cor 1,3-5)
Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição. Pois, à medida que os sofrimentos de Cristo crescem para nós, cresce também a nossa consolação por Cristo.
 
Responsório
R/. O Senhor é a minha força, Ele é o meu canto. R/. O Senhor.
V/. E tornou-se para mim o Salvador. * Ele é.
Glória ao Pai. R/. O Senhor.
 
 
Ant. Benedictus
Quem perder a sua vida neste mundo, vai guardá-la eternamente para os céus.
 
Preces
Irmãos, celebremos nosso Salvador, a Testemunha fiel, nos mártires que deram a vida pela Palavra de Deus; e digamos:
Com vosso sangue nos remistes, Senhor!
Por intercessão de vossos mártires que abraçaram livremente a morte para testemunharem a sua fé,
– dai-nos, Senhor, a verdadeira liberdade de espírito.
Por intercessão de vossos mártires, que proclamaram a fé, derramando o próprio sangue,
– dai-nos, Senhor, pureza e constância na fé.
Por intercessão de vossos mártires que, carregando a cruz, seguiram vossos passos,
– dai-nos, Senhor, suportar com coragem as dificuldades da vida.
Por intercessão de vossos mártires, que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro,
– dai-nos, Senhor, vencer todas as ciladas da carne e do mundo.
Pai Nosso...
 
Oração
Enviastes, Senhor, São Francisco Régis Clet para evangelizar os pagãos e coroastes pelo martírio seu zelo apostólico. Pelo poder do Espírito Santo, fortalecei todos os cristãos na fé até o sacrifício de sua vida pela extensão do vosso Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="I Vésperas"]
Hino
 
Ó Deus, dos vossos heróis
coroa, prêmio e destino,
livrai do peso da culpa
quem canta ao mártir um hino.
 
Seus lábios deram a prova
da fé do seu coração.
Seguindo a Cristo, o encontra
do sangue pela efusão.
 
Do mundo a vã alegria
julgou fugaz, transitória,
chegando assim, jubiloso,
ao gozo eterno da glória.
 
Passou por duros tormentos
com força e muito valor.
Por vós vertendo seu sangue,
possui os dons do Senhor.
 
Ó Deus dos fortes, rogamos:
por essa imensa vitória,
livrai da culpa os cativos,
mostrando em nós vossa glória,
 
para podermos, no céu,
com ele o prêmio gozar
e, para sempre felizes,
vossos louvores cantar.
 
Louvor e glória a Deus Pai,
com o seu Filho também,
e o Divino Paráclito
agora e sempre. Amém.
 
Antífonas
Ant. 1. Quem quiser me seguir renuncie a si mesmo, e, tomando sua cruz, acompanhe meus passos.
 
Salmo 114/116A
- Eu amo o Senhor, porque ouve
o grito da minha oração.
- Inclinou para mim seu ouvido,
no dia em que eu o invoquei.
 
- Prendiam-me as cordas da morte,
apertavam-me os laços do abismo;
= invadiam-me angústia e tristeza: †
eu então invoquei o Senhor:
“Salvai, ó Senhor, minha vida!”
 
- O Senhor é justiça e bondade,
nosso Deus é amor-compaixão.
- É o Senhor quem defende os humildes:
eu estava oprimido, e salvou-me.
- Ó minh’alma, retorna à tua paz,
o Senhor é quem cuida de ti!
 
= Libertou minha vida da morte, †
enxugou de meus olhos o pranto
e livrou os meus pés do tropeço.
- Andarei na presença de Deus
junto a ele na terra dos vivos.
 
Ant. Quem quiser me seguir renuncie a si mesmo, e, tomando sua cruz, acompanhe meus passos.
 
Ant. 2. Se alguém me servir o meu Pai o honrará.
 
Salmo 115/116B
- Guardei a minha fé, mesmo dizendo:
“É demais o sofrimento em minha vida!”
- Confiei, quando dizia na aflição:
“Todo homem é mentiroso! Todo homem!”
 
- Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
- Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
- Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.
 
- É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
= Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, †
vosso servo que nasceu de vossa serva;
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!
 
- Por isso oferto um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
- Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido;
- nos átrios da casa do Senhor,
em teu meio, ó cidade de Sião!
 
Ant. Se alguém me servir o meu Pai o honrará.
 
Ant. 3. Quem perder a sua vida por mim vai guardá-la para sempre.
 
Cântico – Ap 4,11; 5,9.10.12
- Vós sois digno, Senhor nosso Deus,
de receber honra, glória e poder!
 
(Refrão: Poder, honra e glória ao Cordeiro de Deus!)
 
= Porque todas as coisas criastes, †
é por vossa vontade que existem
e subsistem porque vós mandais.
 
= Vós sois digno, Senhor nosso Deus, †
de o livro nas mãos receber
e de abrir suas folhas lacradas!
 
- Porque fostes por nós imolado;
para Deus nos remiu vosso sangue
- dentre todas as tribos e línguas,
dentre os povos da terra e nações.
 
= Pois fizestes de nós, para Deus, †
sacerdotes e povo de reis,
e iremos reinar sobre a terra.
 
= O Cordeiro imolado é digno †
de receber honra, glória e poder,
sabedoria, louvor, divindade!
 
Ant. Quem perder a sua vida por mim vai guardá-la para sempre.
 
Leitura breve (1Pd 4,13-14)
Alegrai-vos por participar dos sofrimentos de Cristo, para que possais também exultar de alegria na revelação da sua glória. Se sofreis injúrias por causa do nome de Cristo, sois felizes, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós.
 
Responsório
R/. Na verdade, ó Senhor, vós nos provastes. * Mas finalmente vós nos destes um alívio. R/. Na verdade.
V/. Depurastes-nos no fogo como a prata. Mas finalmente.
Glória ao Pai. R/. Na verdade.
 
Ant. Magnificat
O Reino celeste é a morada dos santos, sua paz para sempre.
 
Preces
Nesta hora em que o Rei dos mártires ofereceu sua vida na última Ceia e a entregou na cruz, demos-lhe graças, dizendo:
Nós vos louvamos e bendizemos, Senhor!
Nós vos agradecemos, ó Salvador, fonte e exemplo de todo martírio, porque nos amastes até o fim:
Porque viestes chamar os pecadores arrependidos para o prêmio da vida eterna:
Porque destes à vossa Igreja, como sacrifício para a remissão dos pecados, o Sangue da nova e eterna Aliança:
Porque a vossa graça nos mantém até hoje perseverantes na fé:
Porque associastes à vossa morte, neste dia, muitos de nossos irmãos e irmãs:
Pai Nosso...
 
Oração
Enviastes, Senhor, São Francisco Régis Clet para evangelizar os pagãos e coroastes pelo martírio seu zelo apostólico. Pelo poder do Espírito Santo, fortalecei todos os cristãos na fé até o sacrifício de sua vida pela extensão do vosso Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="II Vésperas"][/su_tab] [su_tab title="Missa"]
Antífona da Entrada
Eis uma verdadeira testemunha, que derramou seu sangue pelo Cristo. Não temeu as ameaças dos juízes e conquistou o reino do céu.
 
Oração
Enviastes, Senhor, São Francisco Régis Clet para evangelizar os pagãos e coroastes pelo martírio seu zelo apostólico. Pelo poder do Espírito Santo, fortalecei todos os cristãos na fé até o sacrifício de sua vida pela extensão do vosso Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
 
Primeira Leitura (2Cor 4,7-15)
Levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus
.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios
Irmãos,
trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos.
De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte, por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós. Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus.
Palavra do Senhor.
 
Salmo Responsorial (Sl 33/34, 2-3.4-5.6-7.8-9)
Refrão: De todos os temores o Senhor me libertou.
– Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem!
– Comigo engrandecei ao Senhor Deus, exaltemos todos juntos o seu nome! Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu, e de todos os temores me livrou.
– Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não se cubra de vergonha! Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia.
– O anjo do Senhor vem acampar ao redor dos que o temem, e os salva. Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!
 
Evangelho (Jo 12,24-26)
Se o grão de trigo morre, produzirá muito fruto.
 
† Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará”.
Palavra da Salvação.
 
Oração sobre as Oferendas
Ó Deus, esta oblação que preparou São Francisco Régis Clet para afrontar o combate pela fé nos conceda a nós também contínua constância e fortaleza no vosso serviço. Por Cristo, Nosso Senhor.
 
Antífona da Comunhão (Mt 16,24)
Quem quiser ser meu discípulo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me, diz o Senhor.
 
Oração depois da Comunhão
O sacramento que acabamos de receber nos comunique, ó Senhor, aquela força pela qual São Francisco Régis Clet pôde viver em inocência e conseguir o triunfo do martírio. Por Cristo, Nosso Senhor.
 
Oração pelas Vocações Vicentinas
Esperança de Israel, seu Salvador no tempo da tribulação, do alto do céu dignai-vos lançar sobre nós um olhar propício. Vede e visitai esta vinha. Inundai de águas fecundas todos os seus sulcos. Multiplicai seus rebentos e tornai-a perfeita. Foi a vossa mão direita que a plantou. A seara é verdadeiramente abundante, mas os operários são poucos. Nós vos pedimos, pois, a Vós, que sois o dono da seara, que envieis operários para a vossa messe. Multiplicai a família e enchei-a de alegria, a fim de que sejam edificadas as muralhas de Jerusalém. É vossa esta casa, ó meu Deus, é vossa esta casa. Nela não haja, eu vos suplico, nenhuma pedra que não tenha sido colocada pela vossa santa mão. E aqueles que Vós chamastes, conservai-os em vosso nome e santificai-os na verdade. Amém.
[/su_tab] [/su_tabs]