VOLTAR

Memória Litúrgica das Bem-Aventuradas Maria Ana Vaillot e Odila Baumgarten (01 de Fevereiro)

Maria Ana Vaillot nasceu em 1734, em Fontainebleau. A 25 de setembro de 1761, ingressou na Companhia das Filhas da Caridade. Trabalhou em Saint-Louis en Ille, em Fontaney Le Comte, em Vendec, em Longue, em Saint-Pierre Montlimar e em Angers.

Odila Baumgarten nasceu a 15 de novembro de 1750, em Gondrexange, na Lorena. Ingressou na Companhia das Filhas da Caridade a 04 de agosto de 1775. Em 1776, foi colocada em Brest e, no início do ano seguinte, foi transferida para o Hospital de Angers.

Em outubro de 1793, com o afervoramento da Revolução Francesa e o aumento da intolerância nas questões relativas à Igreja, as Filhas da Caridade, que até então estavam sendo aceitas por seu importante e reconhecido trabalho na área da saúde e da assistência social, foram obrigadas a deixar seu hábito religioso e usar um distintivo tricolor. Por fim, no dia 19 de janeiro de 1794, foram presas, por não se submeterem ao juramento contra a fidelidade à Igreja.

Na manhã de 01 de fevereiro de 1794, com mais de 200 pessoas (a maioria mulheres), atadas duas a duas a uma corda central, foram fuziladas. Foram beatificadas a 19 de fevereiro de 1984.

[su_tabs active="1"] [su_tab title="Invitatório"]
Antífona: Ao Senhor, rei dos mártires, vinde, adoremos!
 
Salmo 94/95
Convite ao louvor de Deus e admoestação
 
- Vinde, exultemos de alegria no Senhor
aclamemos o rochedo que nos salva!
- Ao seu encontro caminhemos com louvores,
e com cantos de alegria o celebremos!
 
- Na verdade, o Senhor é o grande Deus,
o grande Rei, muito maior que os deuses todos.
- Tem nas mãos as profundezas dos abismos,
e as alturas das montanhas lhe pertencem;
- o mar é dele, pois foi ele quem o fez,
e a terra firme suas mãos a modelaram.
 
- Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,
e ajoelhemo-nos ante o Deus que nos criou!
= Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, †
e nós somos o seu povo e seu rebanho,
as ovelhas que conduz com sua mão.
 
= Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: †
“Não fecheis os corações como em Meriba,
como em Massa, no deserto, aquele dia,
- em que outrora vossos pais me provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras”.
 
= Quarenta anos desgostou-me aquela raça †
e eu disse: “Eis um povo transviado,
seu coração não conheceu os meus caminhos!”
- E por isso lhes jurei na minha ira:
“Não entrarão no meu repouso prometido!”
[/su_tab] [su_tab title="Ofício das Leituras"]
Hino
Rei glorioso do mártir,
sois a coroa e o troféu,
pois desprezando esta terra,
procura apenas o céu.
 
Que o coração inclinando,
possais ouvir nossa voz;
vossos heróis celebrando,
supliquem eles por nós!
 
Se pela morte venceram,
mostrando tão grande amor,
vençamos nós pela vida
de santidade e louvor.
 
A vós, Deus uno, Deus trino,
sobe hoje nosso louvor,
pelos heróis que imitaram
a própria cruz do Senhor.
 
Salmodia
 
Ant. 1. Até à morte fiéis ao Senhor, derramaram seu sangue por Cristo e alcançaram o prêmio eterno.
 
Salmo 2
- Por que os povos agitados se revoltam?
Por que tramam as nações projetos vãos?
= Por que os reis de toda a terra se reúnem, †
e conspiram os governos todos juntos
contra o Deus onipotente e o seu Ungido?
 
- “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles,
“e lançar longe de nós o seu domínio!”
- Ri-se deles o que mora lá nos céus;
zomba deles o Senhor onipotente.
- Ele, então, em sua ira os ameaça,
e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz:
 
- “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei,
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!”
= O decreto do Senhor promulgarei, †
foi assim que me falou o Senhor Deus:
“Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!
 
= Podes pedir-me, e em resposta eu te darei †
por tua herança os povos todos e as nações,
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
- Com cetro férreo haverás de dominá-los,
e quebrá-los como um vaso de argila!”
 
- E agora, poderosos, entendei;
soberanos, aprendei esta lição:
- Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória
e prestai-lhe homenagem com respeito!
 
- Se o irritas, perecereis pelo caminho,
pois depressa se acende a sua ira!
- Felizes hão de ser todos aqueles
que põem sua esperança no Senhor!
 
Ant. Até à morte fiéis ao Senhor, derramaram seu sangue por Cristo e alcançaram o prêmio eterno.
 
Ant. 2. Os justos viverão eternamente, e a sua recompensa é o Senhor.
 
Salmo 32/33
I
- Ó justos, alegrai-vos no Senhor!
Aos retos fica bem glorificá-lo.
 
- Dai graças ao Senhor ao som da harpa,
na lira de dez cordas celebrai-o!
- Cantai para o Senhor um canto novo,
com arte sustentai a louvação!
 
- Pois reta é a palavra do Senhor,
e tudo o que ele faz merece fé.
- Deus ama o direito e a justiça,
transborda em toda a terra a sua graça.
 
- A palavra do Senhor criou os céus,
e o sopro de seus lábios, as estrelas.
- Como num odre junta as águas do oceano,
e mantém inabalável as grandes águas.
 
- Adore ao Senhor a terra inteira,
e o respeitem os que habitam o universo!
- Ele falou e toda a terra foi criada,
ele ordenou e as coisas todas existiram.
 
- O Senhor desfaz os planos das nações
e os projetos que os povos se propõem.
= Mas os desígnios do Senhor são para sempre, †
e os pensamentos que ele traz no coração,
de geração em geração vão perdurar.
 
Ant. Os justos viverão eternamente, e a sua recompensa é o Senhor.
 
Ant. 3. Vós lutastes por mim sobre a terra: recebei, meus amigos, o prêmio.
 
II
- Feliz o povo cujo Deus é o Senhor,
e a nação que escolheu por sua herança!
- Dos altos céus o Senhor olha e observa;
ele se inclina para olhar todos os homens.
 
- Ele contempla do lugar onde reside
e vê a todos os que habitam sobre a terra.
- Ele formou o coração de cada um
e por todo os seus atos se interessa.
 
- Um rei não vence pela força do exército,
nem o guerreiro escapará por seu vigor.
- Não são cavalos que garantem a vitória;
ninguém se salvará por sua força.
 
- Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,
e que confiam esperando em seu amor,
- para da morte libertar as suas vidas
e alimentá-los quando é tempo de penúria.
 
- No Senhor nós esperamos confiantes,
porque ele é nosso auxílio e proteção!
- Por isso o nosso coração se alegra nele,
seu santo nome é nossa única esperança.
 
- Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,
da mesma forma que em vós nós esperamos!
 
Ant. Vós lutastes por mim sobre a terra: recebei, meus amigos, o prêmio.
 
V/. No Senhor nós esperamos confiantes.
R/. Porque ele é nosso auxílio e proteção.
 
Primeira Leitura (Rm 8,18-39)
Nada nos pode separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus.
 
            Irmãos, eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós.
            De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus. Com efeito, sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. Pois já fomos salvos, mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? Mas se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança.
            Também o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir. É o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.
            Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados para a salvação, de acordo com o projeto de Deus. Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos. E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos; e aos que tornou justos, também os glorificou.
            Depois disto, que vos resta dizer? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Deus que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos daria tudo junto com ele? Quem acusará os escolhidos de Deus? Deus, que os declara justos? Quem condenará? Jesus Cristo, que morreu, mais ainda, que ressuscitou, e está, à direita de Deus, intercedendo por nós?
            Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? Pois é assim que está escrito: “Por tua causa somos entregues à morte, o dia todo; fomos tidos como ovelhas destinadas ao matadouro”. Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou! Tenho a certeza que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os poderes celestiais, nem o presente nem o futuro, nem as forças cósmicas, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.
 
Responsório (Mt 5,44-45.48; Lc 6,17)
R/. Amai os vossos inimigos, diz Jesus, orai por quem vos calunia e persegue, * E sereis filhos do vosso Pai celeste.V/. Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito. * E sereis.
 
Segunda Leitura
Trecho de uma conferência de São Vicente de Paulo às Filhas da Caridade (25 de dezembro de 1648).
 
Sei muito bem que há entre vós, minhas queridas Irmãs, algumas que, pela graça de Deus, amam tanto sua vocação que se deixariam crucificar, rasgar e cortar em mil pedaços antes que sofrer algo contra sua vocação, e são muito numerosas, pela misericórdia de Deus. Mas isto não é dado a todas e pode haver outras para quem a vocação não parece tão suave, que sofrem com as práticas, que não são tão submissas e aquelas para quem a obediência parece um jugo pesado e difícil de suportar. E estão muitas vezes sujeitas a abalar-se e a abalar as demais. Não é que, por graça de Deus, conheça algumas assim, mas pode acontecer que haja, e, se isso acontecer, pensai, minhas queridas Irmãs, um pouco em vós mesmas: “De que me queixo? Não estou em uma Companhia que Deus mesmo formou e fez com sua mão onipotente? Posso ser infiel a ponto de não a amar?”
            E que poderíeis amar, minhas filhas, se não amais com esta estima vossa vocação? Ides amar mais a vossos pais, dos quais Deus vos tirou para pôr-vos a seu santo serviço? Ides amar mais a vossos amigos, vossos gostos, vossas próprias satisfações e a vós mesmas? Não, minhas filhas, não há nada para vós que seja tão amável como vossa vocação, pela razão que vos acabo de dizer, ou seja, porque o próprio Deus é o autor dela.
            A segunda razão, como foi dito, é que Deus vos tirou, por uma graça especialíssima, dos lugares em que estáveis para trazer-vos aqui, graça tão grande e tão especial que nunca seríamos capazes de compreendê-la bastante. Davi, cheio de gratidão e de sentimento, dizia: “Deus me tirou da casa de meu pai para me chamar a si” (Sl 78, 70). Minhas filhas, foi mesmo a bondade de Deus que vos atraiu, pois, dizei-me, outras Irmãs foram buscar-vos? Talvez as tivésseis visto alguma vez, mas alguma vos pressionou para virdes com ela? Com certeza, não. As pessoas insistiram? Muito pouco. Talvez vos tenham dito que isso existia, mas foi preciso que Deus vos tocasse o coração e vos desse o desejo e a coragem de vir. O que vos fez deixar vossas casas, vossos pais e mães, algumas de vós os vossos bens e vossas pretensões às alegrias e prazeres do mundo? É preciso, minhas filhas, que um poder divino tenha feito isto. Os homens não podiam fazê-lo, a natureza sente repugnância disso e tudo se opõe a isso. Por isto, é preciso que seja Deus. De forma que este, minhas filhas, é um motivo muito importante, cuja lembrança pode e deve derrubar todos os obstáculos que quereriam se opor ao amor à nossa vocação.
            Mas, vou me esfriando, já não sinto aquele primeiro fervor e me deixo abater! Já não penso que foi Deus que me atraiu, que eu então sentia tanta alegria e tanto consolo! Minhas queridas Irmãs, tende muito cuidado com isso, e se sentis que se esfriaram vossos primeiros fervores, procurai reanimar-vos com a consideração destas razões.
            Vejamos agora a terceira razão ou o terceiro motivo que nos leva a progredir no amor a nossa vocação, que é sua excelência e sua grandeza, pois é de tal categoria, minhas queridas Irmãs, que não sei de outra maior em toda a Igreja (SV IX, 457-459 / ES IX, 417-418).
 
Responsório
R/. Deus assiste, os anjos assistem, Cristo também assiste à nossa luta e combate pela fé. * Que gloriosa dignidade e quanta felicidade pelejar na presença de Deus e, por Jesus Cristo, ser coroado! V/. Armemo-nos de todo o valor e preparemo-nos para o combate com a mente incorrupta, a fé íntegra e uma virtude dedicada. Que gloriosa.
 
Oração
Ó Pai, animastes com a caridade de Cristo as Bem-Aventuradas virgens Maria Ana e Odila, tornando-as generosas no serviço dos Pobres e prontas a dar a vida por Vós. Concedei-nos viver sempre unidos a Vós, com o olhar fixo na recompensa que, em vosso Reino, reservastes aos servos fiéis. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="Laudes"]
Hino
 
De Cristo o dom eterno,
dos mártires vitória,
alegres celebremos
com cânticos de glória.
 
São príncipes da Igreja,
na luta triunfaram.
Do mundo sendo luzes,
à glória já chegaram.
 
Venceram os terrores,
as penas desprezaram.
Na morte coroados,
à luz feliz chegaram.
 
Por ímpios torturados,
seu sangue derramaram.
Mas, firmes pela fé,
na vida eterna entraram.
 
Invictos na esperança,
guardando a fé constantes,
no pleno amor de Cristo
já reinam triunfantes.
 
Já têm no Pai a glória,
no Espírito a energia,
e exultam pelo Filho,
repletos de alegria.
 
Pedimos, Redentor,
unidos ser também
dos mártires à glória
no vosso Reino. Amém.
 
Salmodia
 
Ant. 1. Os mártires de Cristo, em seus tormentos, contemplavam os céus e suplicavam: Ó Senhor, dai-nos a força nesta hora!
 Salmo 62/63,2-9
Sede de Deus
- Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!
Desde a aurora ansioso vos busco!
= A minh’alma tem sede de vós, †
minha carne também vos deseja,
como a terra sedenta e sem água!
 
- Venho, assim, contemplar-vos no templo,
para ver vossa glória e poder.
- Vosso amor vale mais do que a vida:
e por isso meus lábios vos louvam.
 
- Quero, pois, vos louvar pela vida,
e elevar para vós minhas mãos!
- A minh’alma será saciada,
como em grande banquete de festa;
- cantará a alegria em meus lábios,
ao cantar para vós meu louvor!
 
- Penso em vós no meu leito, de noite,
nas vigílias suspiro por vós!
Para mim fostes sempre um socorro;
de vossas asas à sombra eu exulto!
- Minha alma se agarra em vós;
com poder vossa mão me sustenta.
 
Ant. 1. Os mártires de Cristo, em seus tormentos, contemplavam os céus e suplicavam: Ó Senhor, dai-nos a força nesta hora!
 
Ant. 2. Espíritos celestes e santos do Senhor, cantai com alegria um hino ao nosso Deus. Aleluia.
 
Cântico – Dn 3,57-88.56
Louvor das criaturas ao Senhor
- Obras do Senhor, bendizei o Senhor,
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- Céus do Senhor, bendizei o Senhor!
Anjos do Senhor, bendizei o Senhor!
 
(Refrão: Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
Ou A Ele glória e louvor eternamente!)
 
- Águas do alto céu, bendizei o Senhor!
Potências do Senhor, bendizei o Senhor!
- Lua e sol, bendizei o Senhor!
Astros e estrelas, bendizei o Senhor!
 
- Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!
Brisas e ventos, bendizei o Senhor!
- Fogo e calor, bendizei o Senhor!
Frio e ardor, bendizei o Senhor!
 
- Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!
Geada e frio, bendizei o Senhor!
- Gelos e neves, bendizei o Senhor!
Noites e dias, bendizei o Senhor!
 
- Luzes e trevas, bendizei o Senhor!
Raios e nuvens, bendizei o Senhor!
- Ilhas e terra, bendizei o Senhor!
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
 
- Montes e colinas, bendizei o Senhor!
Plantas da terra, bendizei o Senhor!
- Mares e rios, bendizei o Senhor!
Fontes e nascentes, bendizei o Senhor!
 
- Baleias e peixes, bendizei o Senhor!
Pássaros do céu, bendizei o Senhor!
- Feras e rebanhos, bendizei o Senhor!
Filhos dos homens, bendizei o Senhor!
 
- Filhos de Israel, bendizei o Senhor!
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor!
Servos do Senhor, bendizei o Senhor!
 
- Almas dos justos, bendizei o Senhor!
Santos e humildes, bendizei o Senhor!
- Jovens Misael, Ananias e Azarias,
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
 
- Ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo
louvemos e exaltemos pelos séculos sem fim!
- Bendito sois, Senhor, no firmamento dos céus!
Sois de digno de louvor e de glória eternamente!
 
No fim deste cântico não se diz Glória ao Pai...
 
Ant. 2. Espíritos celestes e santos do Senhor, cantai com alegria um hino ao nosso Deus. Aleluia.
 
Ant. 3. Vós, mártires todos em coro, louvai o Senhor nas alturas!

Salmo 149
A alegria e o louvor dos santos
 
- Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
e o seu louvor na assembléia dos fiéis!
- Alegre-se Israel em quem o fez,
e Sião se rejubile no seu Rei!
- Com danças glorifiquem o seu nome,
toquem harpa e tambor em sua honra!
 
- Porque, de fato, o Senhor ama seu povo
e coroa com vitória dos seus humildes.
- Exultem os fiéis por sua glória,
e cantando se levantem de seus leitos,
- com louvores do Senhor em sua boca
e espadas de dois gumes em sua mão,
 
- para exercer sua vingança entre as nações
e infligir o seu castigo entre os povos,
- colocando nas algemas os seus reis,
e seus nobres entre ferros e correntes,
- para aplicar-lhes a sentença já escrita:
Eis a glória para todos os seus santos.
 
Ant. 3. Vós, mártires todos em coro, louvai o Senhor nas alturas!
 
Leitura breve (2Cor 1,3-5)
Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição. Pois, à medida que os sofrimentos de Cristo crescem para nós, cresce também a nossa consolação por Cristo.
 
Responsório
R/. Os santos e os justos Viverão eternamente. R/. Os santos.
V/. E a sua recompensa é o Senhor. * Viverão. Glória ao Pai. R/. Os santos.
 
Ant. Benedictus
Felizes de vós, os perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o Reino dos céus há de ser vosso!
 
Preces
Irmãos e irmãs, celebremos nosso Salvador, a Testemunha fiel, nos mártires que deram a vida pela palavra de Deus; e digamos:
Com vosso sangue nos remistes, Senhor!
Por intercessão de vossos mártires que abraçaram livremente a morte para testemunharem a sua fé,
– dai-nos, Senhor, a verdadeira liberdade de espírito.
Por intercessão de vossos mártires, que proclamaram a fé, derramando o próprio sangue,
– dai-nos, Senhor, pureza e constância na fé.
Por intercessão de vossos mártires que, carregando a cruz, seguiram vossos passos,
– dai-nos, Senhor, suportar com coragem as dificuldades da vida.
Por intercessão de vossos mártires, que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro,
– dai-nos, Senhor, vencer todas as ciladas da carne e do mundo.
Pai Nosso.
 
Oração
Ó Pai, animastes com a caridade de Cristo as Bem-Aventuradas virgens Maria Ana e Odila, tornando-as generosas no serviço dos Pobres e prontas a dar a vida por Vós. Concedei-nos viver sempre unidos a Vós, com o olhar fixo na recompensa que, em vosso Reino, reservastes aos servos fiéis. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="I Vésperas"]
Hino
 
Dos que partilham a glória dos santos,
queremos juntos cantar louvores
e celebrar as ações gloriosas
da nobre estirpe de tais vencedores.
 
Temeu o mundo e as lançou na prisão,
por desprezarem os seus atrativos
como de terra sem água e sem flores,
e vos seguiram, Jesus, Rei dos vivos.
 
Por vós, contenda feroz enfrentaram
sem murmurar, nem queixar-se de ofensa,
de coração silencioso e espírito
bem consciente, em fiel paciência.
 
Que verbo ou voz poderá descrever
o prêmio eterno que aos mártires dais?
Louros vermelhos, brilhantes de sangue,
são seus ornatos, troféus imortais.
 
A vós, ó Deus Uno e Trino, pedimos:
dai-nos a paz, a ventura e o bem,
lavai a culpa, afastai todo o mal.
Vós que reinais pelos séculos. Amém.
 
Salmodia
Ant. 1. Os corpos dos santos repousam na paz; viverão para sempre seus nomes na glória.
 
Salmo 114/116A
- Eu amo o Senhor, porque ouve
o grito da minha oração.
- Inclinou para mim seu ouvido,
no dia em que eu o invoquei.
 
- Prendiam-me as cordas da morte,
apertavam-me os laços do abismo;
= invadiam-me angústia e tristeza: †
eu então invoquei o Senhor:
“Salvai, ó Senhor, minha vida!”
 
- O Senhor é justiça e bondade,
nosso Deus é amor-compaixão.
- É o Senhor quem defende os humildes:
eu estava oprimido, e salvou-me.
- Ó minh’alma, retorna à tua paz,
o Senhor é quem cuida de ti!
 
= Libertou minha vida da morte, †
enxugou de meus olhos o pranto
e livrou os meus pés do tropeço.
- Andarei na presença de Deus
junto a ele na terra dos vivos.
 
Ant. 1. Os corpos dos santos repousam na paz; viverão para sempre seus nomes na glória.
 
Ant. 2. Fiéis testemunhas são estes, pois deram por Deus suas vidas.
 
Salmo 115/116B
- Guardei a minha fé, mesmo dizendo:
“É demais o sofrimento em minha vida!”
- Confiei, quando dizia na aflição:
“Todo homem é mentiroso! Todo homem!”
 
- Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
- Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
- Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.
 
- É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
= Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, †
vosso servo que nasceu de vossa serva;
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!
 
- Por isso oferto um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
- Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido;
- nos átrios da casa do Senhor,
em teu meio, ó cidade de Sião!
 
Ant. 2. Fiéis testemunhas são estes, pois deram por Deus suas vidas.
 
Ant. 3. Eis os mártires fortes e fiéis; pela Aliança do Senhor deram a vida, lavando as vestes no sangue do Cordeiro.
 
Cântico – Ap 4,11; 5,9.10.12
- Vós sois digno, Senhor nosso Deus,
de receber honra, glória e poder!
 
(Refrão: Poder, honra e glória ao Cordeiro de Deus!)
 
= Porque todas as coisas criastes, †
é por vossa vontade que existem
e subsistem porque vós mandais.
 
= Vós sois digno, Senhor nosso Deus, †
de o livro nas mãos receber
e de abrir suas folhas lacradas!
 
- Porque fostes por nós imolado;
para Deus nos remiu vosso sangue
- dentre todas as tribos e línguas,
dentre os povos da terra e nações.
 
= Pois fizestes de nós, para Deus, †
sacerdotes e povo de reis,
e iremos reinar sobre a terra.
 
= O Cordeiro imolado é digno †
de receber honra, glória e poder,
sabedoria, louvor, divindade!
 
Ant. 3. Eis os mártires fortes e fiéis; pela Aliança do Senhor deram a vida, lavando as vestes no sangue do Cordeiro.
 
Leitura Breve (1Pd 4,13-14)
Alegrai-vos por participar dos sofrimentos de Cristo, para que possais também exultar de alegria na revelação da sua glória. Se sofreis injúrias por causa do nome de Cristo, sois felizes, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós.
 
Responsório
R/. Regozijai-vos no Senhor, * Ó justos, exultai! R/. Regozijai-vos.
V/. Corações retos, alegrai-vos!. Ó justos.
Glória ao Pai. R/. Regozijai-vos.
 
Ant. Magnificat
Alegrem-se nos céus os amigos do Senhor, que seguiram os seus passos; derramaram o seu sangue por amor a Jesus Cristo, e com ele reinarão.
 
Preces
Nesta hora em que o Rei dos mártires ofereceu sua vida na última Ceia e a entregou na cruz, demos-lhe graças, dizendo:
Nós vos louvamos e bendizemos, Senhor!
Nós vos agradecemos, ó Salvador, fonte e exemplo de todo martírio, porque nos amastes até o fim:
Porque viestes chamar os pecadores arrependidos para o prêmio da vida eterna:
Porque destes à vossa Igreja, como sacrifício para a remissão dos pecados, o Sangue da nova e eterna Aliança:
Porque a vossa graça nos mantém até hoje perseverantes na fé:
Porque associastes à vossa morte, neste dia, muitos de nossos irmãos e irmãs:
Pai Nosso.
 
Oração
Ó Pai, animastes com a caridade de Cristo as Bem-Aventuradas virgens Maria Ana e Odila, tornando-as generosas no serviço dos Pobres e prontas a dar a vida por Vós. Concedei-nos viver sempre unidos a Vós, com o olhar fixo na recompensa que, em vosso Reino, reservastes aos servos fiéis. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
[/su_tab] [su_tab title="II Vésperas"][/su_tab] [su_tab title="Missa"]
Antífona da Entrada
Alegram-se nos céus os santos que na terra seguiram a Cristo. Por seu amor derramaram o próprio sangue; exultarão com ele eternamente.
 
Oração
Ó Pai, animastes com a caridade de Cristo as Bem-Aventuradas virgens Maria Ana e Odila, tornando-as generosas no serviço dos Pobres e prontas a dar a vida por Vós. Concedei-nos viver sempre unidos a Vós, com o olhar fixo na recompensa que, em vosso Reino, reservastes aos servos fiéis. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
 
Primeira Leitura (Sb 3,1-9)
Foram aceitos como ofertas de holocausto.
 
Leitura do Livro da Sabedoria
A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, e sua partida do meio de nós, uma destruição; mas eles estão em paz.
Aos olhos dos homens parecem ter sido castigados, mas sua esperança é cheia de imortalidade; tendo sofrido leves correções, serão cumulados de grandes bens, porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de si. Provou-os como se prova o ouro no fogo e aceitou-os como ofertas de holocaustos; no dia do seu julgamento hão de brilhar, correndo como centelhas no meio da palha; vão julgar as nações e dominar os povos, e o Senhor reinará sobre eles para sempre. Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que perseveram no amor ficarão junto dele, porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos.
Palavra do Senhor.
 
Salmo Responsorial (Sl 125/126, 1-2ab.2cd-3.4-5.6)
Refrão: Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.
– Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios, de canções.
– Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!
– Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.
– Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes!
 
Evangelho (Jo 15,18-21)
Se me perseguiram, também perseguirão a vós.
† Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim. Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence. Mas, porque não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia. Lembrai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior que seu senhor’. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós. Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Tudo isto eles farão contra vós por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.
Palavra da Salvação.
 
Oração sobre as Oferendas
Ó Deus, que hoje nos alegrais com a comemoração das Bem-Aventuradas mártires Ana Maria e Odila, concedei que sejamos ajudados pelos seus méritos e iluminados pelos seus exemplos de castidade e fortaleza. Por Cristo, Nosso Senhor.
 
Antífona da Comunhão (2Tm 2,11-12)
Se morrermos com Cristo, viveremos com ele; se perseverarmos, com ele reinaremos.
 
Oração depois da Comunhão
Ó Deus, que coroastes as Bem-Aventuradas Ana Maria e Odila pela dupla vitória da virgindade e do martírio, concedei-nos, pela força deste sacramento, vencer corajosamente todo mal e conquistar a glória do céu. Por Cristo, Nosso Senhor.
 
Oração pelas Vocações Vicentinas
Esperança de Israel, seu Salvador no tempo da tribulação, do alto do céu dignai-vos lançar sobre nós um olhar propício. Vede e visitai esta vinha. Inundai de águas fecundas todos os seus sulcos. Multiplicai seus rebentos e tornai-a perfeita. Foi a vossa mão direita que a plantou. A seara é verdadeiramente abundante, mas os operários são poucos. Nós vos pedimos, pois, a Vós, que sois o dono da seara, que envieis operários para a vossa messe. Multiplicai a família e enchei-a de alegria, a fim de que sejam edificadas as muralhas de Jerusalém. É vossa esta casa, ó meu Deus, é vossa esta casa. Nela não haja, eu vos suplico, nenhuma pedra que não tenha sido colocada pela vossa santa mão. E aqueles que Vós chamastes, conservai-os em vosso nome e santificai-os na verdade. Amém.
[/su_tab] [/su_tabs]